O ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva enviou uma petição ao Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) reclamando de abuso do poder do juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas investigações contra Lula. Isso causou repúdio aos magistrados, que estão vendo uma tentativa do ex-presidente em se livrar de investigações contra possíveis irregularidades cometidas por ele. 

A AMB comentou que essa petição é uma afronta contra o Poder Judiciário Brasileiro, que está em grande combate contra a #Corrupção que assola o país. De acordo com a entidade, a corte internacional não deve ser utilizada para tentativas de constranger as decisões do Judiciário no Brasil.

Publicidade
Publicidade

O que Lula pretende é paralisar as investigações, onde ele mesmo tem problemas para serem resolvidos, disse a entidade.

Segundo a Associação, essa ação do ex-presidente nada mais é do que formas de intimidar os agentes públicos, inibindo o desempenho de suas funções.

Moro

Para a entidade, o juiz federal Sérgio Moro é um grande exemplo no combate à corrupção e isso faz com que os investigados tentem a todo custo criar barreiras e pressão para que o juiz seja penalizado. A AMB também criticou um Projeto de Lei do Senado, que possui várias penalidades para obstruírem os trabalhos de juízes e juízas, policiais e procuradores no combate aos crimes. Se a lei estivesse valendo, a Operação Lava Jato seria praticamente ineficaz.

Sociedade

A Associação dos Magistrados Brasileiros ressalta que a sociedade tem que estar sempre acompanhando e apoiando as decisões do Judiciário para que nenhum político tente criar leis que promova o cancelamento de investigações.

Publicidade

Em nota a AMB fala que esse Projeto do Senado é absurdo e não deveria em nenhum momento passar pelo Congresso Nacional.

É importante que o país tenha um Judiciário independente e forte e qualquer ameaça de movimentos e ações contra a Justiça deve ser extinguida, pois o povo brasileiro quer respostas contra tantas irregularidades que ferem a Constituição Brasileira. #SérgioMoro