No sábado (30), foi revelado o dia em que começará a ser decido o futuro de #Dilma Rousseff. O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, declarou que o julgamento do impeachment da presidente afastada deve ter início no 29 de agosto. 

 De acordo com os técnicos do Supremo Tribunal e do Senado, o julgamento de Dilma Rousseff pode ter uma semana de duração. Enquanto a data não chega, o STF tem que cumprir o seguinte cronograma:

  • No dia 9 de agosto, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, presidirá uma Sessão Plenária de Pronúncia;
  • Dois dias depois, a defesa deve apresentar seus argumentos e a lista de testemunhas;
  • Após 48 horas da apresentação da lista de testemunhas e dos argumentos da defesa, essa deve oficializar sua contrariedade com o processo e apresentar a suas testemunhas;
  • 29 de agosto: data prevista para o início do julgamento.

 A nota divulgada pelo STF ressalta que os prazos divulgados podem aumentar devido aos debates no plenário do Senado Federal.

Publicidade
Publicidade

Presidente afastada já apresentou a sua defesa

Na quinta-feira passada (28), Dilma Rousseff apresentou a sua defesa, pois esse era o passo que faltava para que o senador Antônio Anastasia, do PSDB-MG, apresentasse um parecer a respeito do caso. A apresentação do parecer do senador mineiro está marcada para a próxima terça-feira (2).

Ao todo, 45 testemunhas foram ouvidas pela comissão que analisa o #Impeachment de Dilma Rousseff. Além disso a comissão teve acesso a 165 documentos e realizou a análise de uma perícia feita por técnicos do Senado Federal a respeito de fatos apontados na denúncia.

Após todo esse processo, Anastásia analisará se existem provas de que Dilma cometeu crime de responsabilidade fiscal.

O parecer do senador do PSDB deverá ser votado na quinta-feira (4), pela comissão do impeachment, que é composta por 21 senadores.

Publicidade

Caso o relatório a favor do afastamento de Dilma seja aprovado, ele será encaminhado ao plenário do Senado, e votado no dia 9 de agosto.

Dilma Rousseff será submetida a terceira e última etapa do processo, caso o parecer, que será votado no dia 9, seja aprovado pela maioria dos senadores presentes no plenário. Nessa terceira etapa, a presidente afastada será julgada pelos 81 membros do Senado Federal, em sessões que serão realizadas no plenário e dirigidas pelo presidente do STF Ricardo Lewandowski. #Lula