A crise política e econômica está assolando o Brasil e, em entrevista veiculada em 02 de julho, pela revista alemã conhecida internacionalmente, Der Spiegel (O Espelho), Luiz Inácio #Lula da Silva, ex-presidente do Brasil, não fugiu de abordar a conturbação social enfrentada pelos brasileiros e de explicar, conforme a percepção dele, o que levou o país a esse complicado cenário. 

O ex-presidente refutou com veemência as denúncias de corrupção de que é alvo; defendeu ainda #Dilma Rousseff, a “companheira” e presidente afastada e fez duras críticas à ascensão ao poder de Michel Temer. 

Lula disse aos jornalistas alemães que o processo de #Impeachment ao qual Rousseff está sendo submetida nada mais é do que uma “vingança do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha”, que não foi socorrido pelo PT – Partido dos Trabalhadores, por ocasião em que esse último foi acusado por práticas de corrupção ativa. 

Por diversas vezes, Lula repetiu que o que está sendo dito contra Dilma “não passa de uma acusação barata”, pois não foi provado nenhum crime orçamentário praticado pela mesma e que os insatisfeitos com os resultados das eleições presidenciais ocorridas no Brasil, deveriam sim, é aguardar a próxima escolha dos brasileiros. 

Se faz necessário, segundo expresso por Luíz Inácio, que somente mais 6 senadores votem contra o impeachment da presidente afastada para que, assim, ela possa retornar ao Planalto Central.

Publicidade
Publicidade

Somado a isso, Temer “cometeu muitos erros”, onde agiu como Fidel Castro com os seus guerrilheiros na Havana de décadas atrás, reiterou Lula. 

Uma vez que Michel Temer trocou as chefias de todos os postos considerados importantes para o país, tais como: ministérios, Petrobras e Banco Central, caso Dilma retorne ao cargo de presidente da República, ele declarou que: “vamos precisar de meio ano para contratar e dispensar gente de novo". 

A sociedade polarizada e a desaceleração da economia do país serviram como justificativas para a votação do impeachment de Dilma na concepção do ex-presidente, até mesmo porque o parlamento brasileiro já vinha interceptando os projetos de lei do governo Dilma, mas o objetivo principal era expurgar, depois de praticamente 14 anos, o PT do cenário nacional, narra a entrevista. 

Lula sob acusação de corrupção 

O ser, denominado de corrupto pela mídia nacional, destacando-se a TV Globo, foi porque, segundo Luíz Inácio, ele possui 2 imóveis e, com isso, querem desmoralizá-lo diante da opinião da sociedade.

Publicidade

Apesar de ser investigado pelo juiz Sérgio Moro, o ex-homem forte do Brasil, falou que não tem medo algum de ser preso, mas o que de fato o preocupa é a vitalidade da democracia no país

Foi deixado claro ainda, para os jornalistas da Alemanha, que foi graças ao PT, que os casos de corrupção estão sendo investigados, onde Lula finaliza a entrevista dizendo “eu não abandono uma companheira somente para salvar minha própria reputação", fazendo clara alusão à presidente eleita por mais de 54 milhões de votos, Dilma Rousseff.