Em entrevista ao jornal britânico The Guardian, que foi publicada nesta terça-feira, 5, Luiz Inácio #Lula da Silva, o Lula, disparou uma frase forte sobre o seu governo e a história política do país. "Fui o melhor presidente da história do Brasil", garantiu o histórico petista. Em suas declarações, ele também criticou a forma como tem sido conduzida as investigações da Operação Lava Jato, que apura fornecimento de propina a partidos políticos com recursos da Petrobras.

Ao mesmo tempo, Lula negou veementemente que tenha tido algum tipo de participação em casos de corrupção na Petrobras. Ele ainda ressaltou os avanços sociais possibilitados por quatro governos petistas seguidos e disse que só virá a se tornar candidato em 2018 se o seu partido assim o desejar.

Publicidade
Publicidade

"Eu saí do governo com 87% de aprovação da pessoas. Eu fui o melhor presidente da história do nosso país. Eu vejo que é praticamente impossível alguém tentar e conseguir repetir esse desempenho na presidência. Eu teria que concorrer contra mim mesmo", disparou Lula.

Lula: críticas à Lava Jato

O presidente demonstrou um extremo desconforto quanto à forma de trabalho da Operação Lava Jato. Ele criticou a parcialidade das investigações, que, segundo ele, deveriam focar na arrecadação de "todos os partidos".

"Do jeito que estão fazendo as coisas, fica parecendo que todo o dinheiro que vem para nós do #PT é sujo e ilegal, e o que vai para o PSDB é totalmente limpo", se defendeu Lula.

Lula é acusado de ter sido dono de um tríplex no Guarujá e ter um sítio reformado em Atibaia, em São Paulo, ambos pela empreiteira OAS, investigada na Lava Jato.

Publicidade

Ele garantiu que trabalha tranquilo e que não teme ser julgado no âmbito das investigações. "Saberemos se todas essas informações que saem são verdadeiras ou não são", despistou Lula.

Por fim, o ex-presidente disse que há uma espécie de acordo entre mídia, procuradores e autoridades de segurança para desconstruir sua imagem e assim impedir que ele se torne candidato no pleito presidencial de 2018.