O ex-presidente Lula disse hoje que se sente "provocado" a disputar novamente as eleições em 2018. A declaração foi dada em encontro com sindicalistas em São Paulo, quando o ex-presidente se queixou da forma como vem sendo tratado pela imprensa e pelos órgãos encarregados de investigar. Um dia após recorrer à ONU contra abusos de autoridade na condução de investigações sobre suas condutas, o ex-presidente virou réu por suposta tentativa de obstrução da Operação Lava Jato. 

"Se o que eles estão falando pela imprensa, de que o objetivo de tudo isso é tirar o #Lula da campanha de 2018, não precisava fazer isso. Porque a gente pode escolher um outro companheiro com mais qualidade ou uma companheira”, disse ao se referir às investigações. 

O ex-presidente reiterou sua disposição em continuar lutando e disse que não pretende ficar intimidado.

Publicidade
Publicidade

“Achar que eu vou ficar quieto por conta de ameça, eu não vou. Eu duvido que tenha alguém nesse país que seja mais cumpridor da lei do que eu. A única coisa que eu quero é respeito”.

Réu na Lava Jato

A Justiça Federal (DF) aceitou nesta sexta (29) denúncia contra Lula, Delcídio e outros cinco investigados por tentativa de obstrução da Operação Lava Jato.

Sobre a acusação, os advogados do petista manifestaram-se em nota afirmando que ele já esclareceu os fatos ao Procurador-Geral da República e que a acusação não tem fundamento, visto que foi feita "em delação premiada de réu confesso e sem credibilidade - que fez acordo com o Ministério Público Federal para ser transferido para prisão domiciliar".

A nota diz ainda que o ex-presidente não se opõe às investigações, contanto sejam observados "o devido processo legal e as garantias fundamentais".

Publicidade

Recurso à ONU

Advogados do ex-presidente anunciaram na quinta-feira (28) em Londres um recurso contra os "abusos de poder" de Moro e de procuradores federais da Lava Jato na Comissão de Direitos Humanos da ONU. A decisão sustenta que o juiz Moro está "enviesado", ou seja, inclinado a condenar o ex-presidente a qualquer custo, o que estaria comprometendo a credibilidade das investigações.

Candidatura

Caso seja declarado inocente, o ex-presidente poderá concorrer às eleições em 2018. Se acontecer, será a sexta vez que Lula se lança desde 1989. Em pesquisas recentes, ele aparece liderando as intenções de voto para o pleito de 2018. #PT