Na cerimônia de abertura da "Global Agribusiness Forum 2016" (GAF 16), nesta segunda-feira (04), em São Paulo, o presidente interino #Michel Temer avaliou que, se após a votação final do processo de #Impeachment que julga a presidente afastada Dilma Rousseff, ele conseguir se manter no poder, o presidente interino promete que, em dois anos e meio, colocará o "Brasil nos trilhos". A sessão do processo de impeachment está marcada para o mês de agosto.

Temer disse que viajará para diversos países para ajudar o Brasil na área de investimentos, podendo, assim, recuperar os empregos, e disse que, para isso, será necessária muita confiança.

Publicidade
Publicidade

Ele acredita que os investidores aguardam uma posição do Brasil no âmbito político, para que, assim, possam voltar a apostar e investir no país.

Sobre o funcionalismo público, Temer avaliou que foi necessário o reajuste, pois, caso contrário, movimentos políticos o cobrariam e isso causaria o que ele chamou de "desastre". O orçamento para o funcionalismo público teve os gastos aumentados e estaria abaixo da inflação, isso já estava previsto e um déficit chegaria a R$ 170,5 milhões. O presidente em exercício avaliou que o governo continua com uma "contenção forte" de gastos.

Programas sociais

Michel Temer disse que os programas como "Bolsa Família" e "Minha Casa, Minha Vida" continuarão a existir enquanto existir pobreza no país, e ele acredita que o emprego é um dos primeiros direitos que as pessoas devem ter para que possam progredir.

Publicidade

Na última quarta-feira (29), Temer anunciou um novo ajuste para o Bolsa Família de 12,5%, maior que o prometido pela presidente afastada Dilma, que dizia reajustar para 9%. Temer disse que essa é uma forma de valorização do programa, com esse percentual, as famílias passariam a receber de R$ 162 a R$ 176, porém,, não é algo "para perdurar", disse ele, e se o programa que está em andamento está dando certo, é preciso continuar. 

Na cerimônia, Michel Temer também falou sobre o agronegócio nacional, avaliando que o Brasil é um grande produtor de alimentos, "é o grande celeiro do mundo". #Crise-de-governo