Uma situação difícil está sendo enfrentada pela comitiva brasileira que viajou para Istambul, na Turquia, para participar da 40ª Reunião do Comitê do Patrimônio Mundial da Unesco, organizado pela #ONU (Organização das Nações Unidas) nesse sábado (16). O país está sob tensão, pois um comunicado foi divulgado na mídia, afirmando que os militares assumiram o poder em todo o país. Segundo notícia divulgada no site do “Jornal O Globo”, a Comitiva Brasileira que está no país, decidiu permanecer no hotel em que está hospedada, até que seja definida a situação difícil que está sendo enfrentada.

Entre os participantes da comitiva brasileira, está o atual ministro da Cultura, Marcelo Calero que participaria dos debates sobre Educação, Ciência e Cultura elaborada por integrantes da Unesco.

Publicidade
Publicidade

Apesar de apreensão generalizada no país, o atual presidente turco, Tayyip Erdogan fez um pronunciamento por telefone, à rede de televisão americana CNN, afirmando que a situação do país está sob controle.

Erdogan tentou explicar ao mundo o que está acontecendo nesse momento na Turquia. Segundo ele, se trata apenas de uma “pequena revolta” de um grupo considerado pequeno de militares. O presidente afirmou que a atitude do grupo, não ficará sem resposta, e que o ato feito hoje, foi encorajado por “uma estrutura paralela” existente no país.

Imprensa internacional divulgou que exército turco está dividido

De acordo com notícias que estão sendo divulgadas por jornalistas de diversos países, a situação na Turquia não está tendo unanimidade entre os militares. Jornalistas afirmaram que há um “racha” sobre o possível golpe que está em curso no país.

Publicidade

O fato é que, caso seja confirmado o golpe militar no país, será uma das maiores mudanças no poder, nos últimos anos no Oriente Médio, já que o presidente Tayyip Erdogan está comando da Turquia, desde 2003.

Em relação ao encontro internacional, ainda não foi divulgado se será cancelado. Entre as pautas da reunião, estaria a candidatura do Conjunto Arquitetônico da Pampulha, em Belo Horizonte, como Patrimônio Mundial da Humanidade.

Em nota, a assessoria do Ministério das Relações Exteriores, afirmou que o grupo brasileiro está no hotel “aguardando os desdobramentos da situação” e que todos estão bem e seguros. #Violência #Crise-de-governo