A Polícia Civil de Pernambuco divulgou, nesta última quinta-feira (30), a causa da #Morte do empresário que era dono do avião que matou o político Eduardo Campos. Paulo César de Barros Morato foi encontrado morto em um motel em Olinda (PE), no dia 22 de junho. A perícia determinou que a morte foi causada por envenenamento com pesticida, o famoso "chumbinho"

Paulo Morato tinha 47 anos e era dono da empresa que se responsabilizou pela compra do avião que causou a morte do político. O falecido ex-governador morreu quando caiu no litoral paulista, na cidade de Santos, em 12 de agosto de 2014. Na época, Eduardo Campos era candidato à Presidência da República, concorrendo com Dilma Rousseff, Aécio Neves, Marina Silva, entre outros.

Publicidade
Publicidade

No exame de vísceras realizado pelo IML (Instituto Médico-Legal) do Recife, o corpo de Paulo Morato se encontra em um quadro de "intoxicação exógena por organofosforado".

A perícia ainda irá analisar oito laudos sobre o caso, pois precisam descobrir o porquê de Paulo Morato estar no motel, e o local exato em que ocorreu a morte por intoxicação. A Polícia Civil também determinará se ele foi assassinado ou se cometeu suicídio, segundo Paulo Câmara (PSB), do #Governo de Pernambuco.

O empresário estava sendo procurado pela Polícia Federal, na Operação Turbulência, que investiga contas bancárias de empresas que custearam a campanha de Eduardo Campos (PSB). Ao todo, 18 contas bancárias estão sendo averiguadas em um esquema que movimentou cerca de R$ 600 milhões. 

A Operação Turbulência fez levantamentos com base na Operação Lava Jato, cujo juiz de destaque é Sérgio Moro e que analisa os casos de corrupção, envolvendo a Petrobras.

Publicidade

Em janeiro, quando a operação Turbulência foi deflagrada, efetuou prisões e apreensões.

Paulo Morato era dono da empresa titular de contas na qual a empreiteira OAS depositou o valor de R$ 18 milhões para pagar o avião que caiu em Santos, que tinha o nome de "Cessna Citation", ele era dono da "Câmara & Vasconcelos Locação e Terraplanagem" #Casos de polícia