A Organização das Nações Unidas (ONU) acabou dando um "passa fora" no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Nesta sexta-feira, 29, a entidade que zela pela paz no mundo disse que recebeu sim a petição da defesa do ex-líder sindical, mas deixou claro que o processo que pode pressionar o juiz federal Sérgio Moro teria prazo mínimo de pelo menos dois anos para chegar ao fim. Isso significa que em dois anos o petista não tem mais para onde correr, o que pode facilitar até mesmo a prisão dele. A #ONU não é um órgão com grande poder prático no mundo. Sua atuação é muito mais simbólica. Os países costumam aceitar as recomendações para ficarem bem no cenário internacional, mas até grandes potências, como os Estados Unidos, já desobedeceram os pedidos assinados pelo órgão. 

Segundo a entidade internacional, mais de 500 pessoas estão na frente de #Lula e o pedido dele não vai passa  primeiro do que o de ninguém.

Publicidade
Publicidade

A defesa do ex-presidente fez denúncia ao Comitê de Direitos Humanos. A assessoria de imprensa da ONU disse que seus funcionários vão ler a petição e depois fazer um resumo. Em seguida, esse resumo será levado para membros do Comitê, que vão avaliar o documento. Apesar do recebimento da petição, o caso para ser oficialmente registrado precisa do aval dos membros do órgão. 

A assessoria do grupo disse ainda que um dos critérios para se aceitar um processo lá é que todas as demais vias da Justiça legal do país de origem do reclamante já tenham sido usadas. O órgão faz três reuniões por ano e em cada uma dessas reuniões são analisados 40 casos. Ou seja, 120 casos por ano. Um caso só ganha prioridade, caso essa pessoa esteja no corredor da morte ou prestes a ser expulsa de um país, o que não é o caso do companheiro político da presidente afastada Dilma Rousseff. 

A resposta da ONU agradou muitos brasileiros, que elogiaram a postura do órgão por não dar privilégios ao político brasileiro.

Publicidade

Entidades de juízes do Brasil já haviam se pronunciado contra a atitude de Lula, que pode atrapalhar a principal investigação do país, a Lava Jato.  #PT