O Brasil segue atravessando uma das piores crises políticas de toda sua história recente. Um País que enfrenta um processo de #Impeachment em curso, com grande probabilidade de que tenha seu desfecho no final do mês de agosto, além das incertezas econômicas em plena época de jogos olímpicos a serem realizados no Rio de Janeiro, se depara com muitos desafios.

Não obstante, o País encontra-se mergulhado numa crise política, em um processo de investigação que busca desvendar toda  trama de corrupção sistêmica que atingiu a sua maior estatal; a Petrobras. Neste sábado (16), o Instituto de Pesquisas Datafolha, divulgou pesquisa realizada recentemente, com dados que comparam as administrações do País, em se tratando, da presidente afastada, #Dilma Rousseff e do presidente em exercício, #Michel Temer.

Publicidade
Publicidade

Comparação de Governos

A pesquisa do Instituto Datafolha teve como propósito comparar os governos de Dilma Rousseff e de Michel Temer, tendo como parâmetro um processo de impeachment, que pode ou não afastar definitivamente a petista do poder no País. O Instituto perguntou às pessoas entre os dias 14 e 15 de julho sobre o que seria melhor para o País: a continuidade do presidente interino Michel Temer, ou a volta da presidente afastada Dilma Rousseff. Os dados que surpreenderam referem-se à opinião de metade dos brasileiros que preferem que Temer continue no comando do Brasil, até as próximas eleições para presidência da República, com permanência até o final de 2017. Os dados refletem um "balde de água fria" nas pretensões de Dilma em voltar ao poder, já que 50% dos brasileiros têm a preferência de que Temer continue presidente, em detrimento da opinião minoritária de 32%, que prefere a volta da presidente afastada.

Publicidade

O dados da pesquisa podem também preocupar os políticos que buscavam uma solução intermediária, com referência à realização de novas eleições. Os dados mostram que 4% não quer nenhum dos dois e tão somente 3% dos brasileiros apoiam a realização de novas eleições para presidente, segundo a pesquisa. Outros 2% deram outras respostas e 9% não souberam responder.

Outro dado curioso da pesquisa Datafolha, é que Temer é rejeitado por uma parcela muito inferior à de Dilma. Ele é reprovado, sendo ruim ou péssimo por 31%. Já Dilma é reprovada, como ruim ou péssimo, por 65% das pessoas pesquisadas.

A pesquisa pode, de certa forma, dar um impulso maior ao processo de impeachment de Dilma, que prossegue no Senado Federal, através da Comissão Especial do Impeachment.