As investigações da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal e comandadas pelo juiz Sérgio Moro, da décima terceira Vara Criminal de Curitiba, no Paraná, desvendaram até o momento, desvios bilionários dos cofres públicos da maior estatal brasileira; a Petrobras. O grande número de políticos envolvidos e as constantes operações de combate à #Corrupção, a partir dos trabalhos da força-tarefa da Lava-Jato, aliados à conscientização da opinião pública brasileira sobre os desdobramentos da crise política e econômica, sacodem substancialmente o País.

O ex-presidente da República, Luiz Inácio #Lula da Silva, de acordo com as apurações dos agentes federais e do Ministério Público, é peça fundamental de toda a engrenagem do esquema de distribuição de propinas oriundas da Petrobras, o que serviu também para "espelhar" e retratar a opinião dos brasileiros, através de pesquisa realizada por um renomado Instituto de Pesquisas Eleitorais, sobre o que a população pensa em relação ao futuro do ex-mandatário do País.

Publicidade
Publicidade

Resultados da pesquisa

A pesquisa foi encomendada pelo Instituto Paraná Pesquisas, entre os dias 20 e 23 de julho, cujos resultados foram divulgados nesta segunda-feira (25). Foram ouvidas 2.020 pessoas em 24 estados e no Distrito Federal, distribuídos em 158 municípios brasileiros. O levantamento específico sobre a vontade dos entrevistados sobre o que deveria ocorrer com o ex-presidente Lula, é surpreendente. De acordo com os resultados da pesquisa, um dos dados mais significativos, é que 47,7% dos entrevistados querem que o ex-presidente Lula seja preso pelo juiz Sérgio Moro. Já 34,1% das pessoas entrevistadas, preferem que o ex-mandatário se aposente da política. Verifica-se que aproximadamente 82% dos entrevistados querem ver Lula preso ou aposentado, e tão somente 15,2%, desejam que ele volte a se tornar presidente da República.

Publicidade

Atualmente, o País atravessa uma grave crise política e econômica, com um processo de impeachment contra a presidente afastada Dilma Rousseff, em curso no Senado Federal. A probabilidade é que o processo de impedimento de Dilma, tenha um desfecho no final do mês de agosto, com votação pelo plenário do Senado; o que decidirá, de forma preponderante, se ela volta a comandar a Nação, ou se terá seus direitos políticos suspensos, com o afastamento definitivo da presidência do País. #Lava Jato