Em uma manifestação que ocorreu no dia 19 de junho em uma das principais avenidas de São Paulo, um grupo contra o Partido dos Trabalhadores levou bonecos infláveis do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e do presidente da Corte, o ministro Ricardo Lewandowski.

A presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) não simpatizou com os bonecos e pediu para que a #Polícia Federal investigue quem são os responsáveis. Em um documento feito pelo chefe de segurança do STF, foi explicado que tal ato representa "grave ameaça à ordem pública e inaceitável atentado à credibilidade", afirmava Murilo Herz. O documento foi encaminhado para a PF investigar atentados contra o Poder Judiciário, representado por bonecos e também nas redes sociais, considerando que isso é uma "campanha difamatória".

Publicidade
Publicidade

O diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello, recebeu o documento que enfatizava que os bonecos são um atentado à Justiça brasileira, rebaixando a honra do chefe de poder e descaracterizando a liberdade de expressão. O conceito descrito por Murilo Herz teve o aval do ministro Lewandowski.

Origem dos bonecos

O chefe de segurança do STF acredita que os bonecos vieram do "Movimento nas Ruas", um grupo anti-#PT que tem como líder de protesto Carla Zambelli Salgado, uma das responsáveis em pedir o impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, na Câmara dos Deputados, em 2015.

Na manifestação em frente ao Museu de Arte Moderna de São Paulo (MASP), os bonecos foram identificados como "petralhas", e foram apelidados de "Petrolowsi" e "Enganô", remetendo ao ministro e ao procurador, respectivamente.

Publicidade

O boneco de Lewandowski aparece segurando uma balança que tende a cair para o lado do PT, e seus pés, estão cheios de ratos.

Segundo a líder Carla Zambelli, ela se responsabiliza pela criação dos bonecos e acredita que não é necessário investigação, pois os bonecos representam figuras públicas, e avalia que as decisões feitas pelo ministro, são, de fato, as verdadeiras ameaças.

Carla enfatizou que os movimentos a favor do PT também fizeram bonecos infláveis criticando o juiz federal Sérgio Moro, que também representa o Poder Judiciário - e o presidente do PSDB, Aécio Neves, também teve seu boneco inflável. #Corrupção