As investigações da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, prosseguem desvendando uma emaranhada rede de corrupção na Petrobras. A estatal brasileira, considerada uma das maiores do País, tornou-se vítima de rombos bilionários de seus cofres públicos, devido a um esquema criminoso de desvios de recursos. Desta vez, os agentes investigadores da Polícia Federal, constataram que a empreiteira Odebrecht se envolveu ainda mais no mega esquema de corrupção que o Brasil atravessa dia após dia, com novas descobertas.

A empreiteira de Marcelo Odebrecht foi responsável pela compra do Instituto #Lula, de acordo com os investigadores, pertencente ao ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, também envolvido nas investigações da força-tarefa da Operação Lava-Jato, conduzida pelo juiz Sérgio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal de Curitiba, sede da Justiça Federal do Paraná.

Publicidade
Publicidade

Há mais de seis anos atrás, mais propriamente durante o mês de junho de 2010, a Construtora Odebrecht adquiriu um edifício de três andares, localizado na zona Sul da cidade de São Paulo. A intenção era de que se instalasse naquela localidade a sede do Instituto do ex-presidente Lula. A empreiteira se utilizou então, da DAG Construtora, de Salvador, na Bahia. A empresa pertence a Demerval Gusmão, um dos parceiros de negócios do empreiteiro Marcelo Odebrecht.:

Viagem de Lula a Cuba

Os investigadores da força-tarefa da Operação Lava-Jato averiguaram que  a DAG Construtora, é a mesma empresa que durante o ano de 2013, pagou a viagem de Lula até Cuba. Tudo ocorreu, de acordo com os investigadores, sob a solicitação da empreiteira Odebrecht. O pagamento do jatinho fretado para a locomoção do ex-mandatário do País, também favoreceu às visitas à República Dominicana e Estados Unidos, além da visita à terra de Fidel Castro.

Publicidade

Já de acordo com os agentes federais, a compra do edifício para instalação da sede do Instituto Lula, não se concretizou naquele local, já que haviam pendências judiciais, em relação aos antigos proprietários. Além do mais, a Polícia Federal possui documentos que comprovam e-mails impressos apreendidos na residência de Lula, em São Bernardo do Campo, que dão conta de que havia negociação de compra da sede do Instituto pelo advogado e amigo do ex-presidente, Roberto Teixeira. #Lava Jato #Petrolão