Em entrevista ao portal de notícias G1, nesta quinta-feira, dia 21, o atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu a legalização dos bingos e cassinos no país. Ele afirmou que existem várias propostas em análise na Câmara que buscam a regularização de tal atividade como uma forma de se aumentar a arrecadação por parte do governo. Entretanto, ao mesmo tempo que defende a atividade, o parlamentar salienta que, no caso de investimentos estrangeiros no país, o interesse maior seria direcionado a grandes centros urbanos tais como Rio de Janeiro e São Paulo.

Questionado quanto ao fato da liberação dos chamados #Jogos de azar no Brasil, Rodrigo Maia foi taxativo  ao defender a legalização deste tipo de atividade.

Publicidade
Publicidade

Ele afirmou que as propostas, por se avolumarem na Câmara, suscitaram a criação de uma comissão especial exclusivamente dedicada a analisar a questão. O parlamentar, ao mesmo tempo em que defende a legalização dos jogos como um forma do #Governo elevar sua receita com os impostos cobrados, cobra também um rígido controle por parte da Receita Federal, na forma de sua arrecadação, a fim de se evitar uma possível sonegação. Neste sentido, deixaria de ser considerado apenas contravenção a exploração de máquinas do tipo 'caça-níquel' de forma clandestina para se tornar uma forma de crime.

Os investidores estrangeiros estariam interessados nos grandes centros urbanos 

Com a relação à crescente demanda de projetos que visam à legalização do jogos, o presidente da Câmara discorda da proposta de alguns parlamentares que defendem a atividade em cidades pouco desenvolvidas como um forma de alavancar um crescimento interno.

Publicidade

Segundo Maia, caso haja a legalização, os investidores internacionais estariam interessados em grandes centros urbanos, tais como o Rio e São Paulo. O grande fluxo de pessoas que gastariam mais dinheiro neste tipo de divertimento seria maior, com um retorno financeiro mais rápido para quem explora tal ramo. Ao citar as duas principais cidades da região Sudeste do país, o deputado traçou um paralelo com grandes cidades americanas como Las Vegas, que possuem os maiores cassino do mundo.

Rodrigo Maia aproveitou para citar que, com a realização das olimpíadas no Rio de Janeiro, grandes mudanças e investimentos estão sendo feitos em infraestrutura, principalmente, na rede hoteleira. Segundo o mesmo, após o término do evento, muitos espaços deverão ficar ociosos. Este poderiam ser aproveitados para a instalação de tais atividades. Pela contas do deputado, São Paulo poderia comportar dois estabelecimentos deste tipo, enquanto o Rio de Janeiro poderia ter apenas um.

Pelo ritmo das votações no Congresso que será implantado a partir de agosto, Maia acredita que a proposta para a regulamentação dos jogos de azar deverá ser votada até final do ano.

Publicidade

Ele afirmou que, com a conclusão das análises nas comissões, o texto seguirá em ritmo acelerado para o plenário quando deverá ser submetido ao processo de votação. Entretanto, a intenção do legislativo não será dar ampla 'carta branca' para que se possa abrir um cassino em qualquer esquina de qualquer cidade brasileira. O objetivo deverá ser considerar o jogo com parte integrante do ramo de entretenimento. Neste sentido, os investimentos poderão ser feitos em outros locais distantes dos demais centros urbanos, desde que não escape da regulamentação de  órgãos como o ministério da Fazenda.    #Câmara dos Deputados