Às vésperas de um recesso parlamentar, os senadores fecharam um acordo: a votação sobre reajustes salariais de algumas categorias. Foi votado um pacote fechado, e que tem a inclusão de 14 mil cargos comissionados, mas já com compromisso fechado com a oposição, que quando chegar a hora da sanção, o presidente em exercício, Michel Temer, vai dizer não a qualquer assunto relacionado à criação de cargos, à criação de carreiras e mudanças de carreiras (era nível médio e passa a ser nível superior).

Nada disso vai ser tratado no momento, ou seja, na prática, o que o Senado aprovou foi o reajuste para várias categorias, como:

  • Forças Armadas;
  • Banco Central;
  • Policiais;
  • Bombeiros.

Uma série de servidores, muitos, inclusive, estavam presentes na sessão em Brasília, saíram muito felizes com o resultado.

Publicidade
Publicidade

Sabe-se que sempre tem alguém que gosta de ''tirar uma casquinha'' da situação, para dizer que estão todos pensando no reajuste dos servidores para tirar isso da pauta, e tanto o governo quanto a oposição estão com esse discurso.

A senadora Vanessa Grazziotin, do PCdoB, que é da oposição, fez questão de dar uma ''alfinetada'' no governo. Ela achou que isso não tem nada a ver, pois falam que precisam diminuir os gastos, e a presidente afastada Dilma Rousseff era uma mulher que gastava muito, segundo deputados e senadores, porém, agora querem aumentar os gastos?

Saiba mais sobre outras aprovações dos senadores 

O Senado Federal aprovou um limite de gastos para as Assembleias Legislativas Estaduais, Tribunais de Contas Estaduais, Câmara Legislativa do Distrito Federal e para o Tribunal de Contas do Distrito Federal. O placar da votação ficou em 62 (sim) e dois (não), porém, essa discussão ainda não foi encerrada, pois ainda vai para votação no Plenário da Câmara, e, com isso, poderemos saber a opinião dos parlamentares nesses limites.

Publicidade

A regra que foi aprovada é que os gastos não podem ultrapassar o total das despesas do ano anterior, isso, já corrigidas pelo IPCA (Índice de Preços do Consumidor). #Michel Temer #Câmara dos Deputados #Senado Federal