Roberto Requião, um dos poucos senadores do PMDB que permaneceram ao lado de Dilma após o afastamento pelo processo do impeachment, gerou polêmica ao se expor sobre o programa ‘Escola Sem Partido’.

Em uma entrevista, o senador foi questionado sobre o programa que pode virar lei. Requião foi direto ao assunto: “Isso é coisa de filho da p... é opinião de imbecis, analfabetos políticos completos...”.

A declaração do político gerou grande repercussão na mídia, com milhares de críticas de internautas em redes sociais. A opinião de Requião surgiu na semana em que o Senado voltou a discutir a PL 867/2015, que visa integrar a escola sem partido aos currículos das instituições de ensino.

Publicidade
Publicidade

Objetivos do projeto

O projeto de lei, de autoria do deputado Izalci (PSDB-DF), surgiu com um movimento de milhares de alunos, professores e pais de alunos que não aceitavam doutrinação partidária nas escolas.

Logo, o intuito do programa é proibir que professores imponham a ideologia de um partido aos alunos, independentemente do partido defendido. Da mesma forma, professores que não seguem a doutrinação, querem liberdade para dar suas aulas sem serem censurados por alunos que seguem a doutrinação.

A doutrinação partidária tem transformado alunos do ensino básico e de universidades públicas, em militantes de partidos de esquerda, o que faz com que eles não aprendam a história e a política da forma real, mas sim com base naquilo que lhes parece mais convincente, segundo seus professores.

Publicidade

Vídeos de alunos que tentaram impedir professores de darem aulas sobre a ditadura militar ou nazismo têm viralizado nas redes sociais. Professores que se recusam a fazer doutrinação partidária e que são agredidos por alunos, ou docentes que usam as aulas para falarem mal de partidos, classes sociais e políticos, como Michel Temer, Bolsonaro, entre outros, também têm ganhado cada vez mais espaço na internet.

Por conta das constantes agressões partindo de alunos grevistas de universidades públicas contra docentes, políticos da Câmara e Senado voltaram a falar da importância da aprovação da lei para a #Educação no Brasil.

Embora o projeto ainda não tenha sido liberado para votação, o mesmo possui aprovação da maioria dos senadores e deputados em exercício. #Congresso Nacional #Senado Federal