Por volta da uma da manhã dessa quarta-feira, 27, internautas foram pegos de surpresa com uma invasão no site oficial do candidato a vereador de São Paulo, Eduardo Suplicy. Hackers conseguiram quebrar a chave de segurança do site do político e deixaram uma imagem e uma mensagem na página inicial.

Os hackers usaram um linguajar de baixo calão para afirmar que Eduardo estaria se aproveitando da detenção em uma reintegração de posse para obter mais eleitores em sua campanha política. Também disseram que o mesmo está ‘desconfigurado’ e que ele era um ‘petista inútil’. Erros gramaticais estavam presentes nas palavras dos invasores, o que fez internautas levantarem a hipótese de que o ato pode ter sido executado por jovens.

Publicidade
Publicidade

Os invasores assinam a página como ‘Monsters Defacers - P&rlcK & MrDeface’. Ainda não há um comunicado oficial dos assessores de Eduardo sobre o ocorrido.

A prisão

Eduardo Suplicy foi detido dia 25 de julho por resistir à ordem de autoridade policial em uma reintegração de posse. Os invasores estavam em uma propriedade da prefeitura municipal de São Paulo e foram retirados após decisão judicial. O ex-senador teria tentado evitar a ação deitando-se no chão, mas foi carregado pelos PMs e um boletim de ocorrência foi emitido contra o mesmo.

Um dia depois do ocorrido, o político disse que o objetivo de deitar-se no chão foi o de evitar que uma confusão maior acontecesse, chegando a afirmar em uma entrevista que pelo menos havia conseguido evitar uma confusão.

Repúdio de ex-colegas do Senado

As senadoras Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Erika Kokay (#PT-DF) criticaram a ação da polícia militar e ironizaram a situação, dizendo que os policiais prenderam o Eduardo errado, fazendo referência ao peemedebista, Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara dos Deputados.

Publicidade

Outros políticos, como a deputada federal afastada Jandira Feghali (PSOL-RJ), também criticaram o ocorrido. Jandira se afastou da Câmara dos Deputados para trabalhar em sua campanha política para a prefeitura do Rio de Janeiro. #Eleições