A lei de acesso à informação traz à tona todos os gastos de políticos durante sua estadia no poder. E os gastos que foram apresentados, pelo jornal Folha de São Paulo, do presidente interino #Michel Temer, quando ainda ocupava o cargo de vice-presidente, impressionam. Os gastos apresentados correspondem às viagens internacionais feitas pelo peemedebista, que, por muitas vezes, ultrapassavam o orçamento inicial programado. Nesses casos, diplomatas que acompanham a comitiva eram obrigados a solicitar ao Itamaraty recursos extras para suprir as despesas.

Todos os dados apresentados dizem respeito a telegramas enviados de embaixadas brasileiras ao Itamaraty.

Publicidade
Publicidade

Viagem a Turquia, em 2012

Em maio de 2012, Temer e uma comitiva formada por servidores do Itamaraty, assessores e militares responsáveis pela segurança gastaram US$ 56 mil (R$ 182 mil). O gasto corresponde a apenas dois dias em diárias em hotéis em Istambul. Entre o período de 30 de maio e 02 de junho.

Em relação a outros gastos, os valores também impressionam:

  • US$ 21 mil (R$68 mil) – para aluguel de quatro vans Sprinter, seis BMW, duas Mercedes Benz, dois Mondeos e um caminhão baú para bagagens;
  • US$ 4 mil (R$ 13 mil) – para aluguel de salas para reunião;
  • US$ 2,1 mil (R$ 6,8 mil) – pela contratação de um tradutor e intérprete;
  • US$ 944 (R$ 3 mil) – pelo serviço de um fotógrafo.

O evento do qual Temer participou em Istambul foi intitulado de 2ª Conferência de Istambul sobre a Somália. O valor total da ida de Temer a Turquia (sem contar despesas de deslocamento e diárias dos servidores) foi de, aproximadamente, R$ 328 mil.

Publicidade

Viagens para descontrair

Entre 2011 e 2016, foram registradas 15 viagens de Michel Temer ao exterior. Ele sempre se deslocava com comitivas luxuosas e grandes. Muitas vezes os gastos eram suportados pelas embaixadas e esses gastos não são revelados, mas, quando os mesmos superavam a “expectativa”, telegramas eram enviados ao Itamaraty, e estes sim são valores revelados.

Viagem a Nova York

O motivo da viagem era para participar do 3º Fórum de Desenvolvimento sustentável, elaborado pelo empresário Mário Garnero. Nessa viagem, foi necessário alugar cinco noites em suítes de luxo para Temer e sua mulher, Marcela Temer, seis pequenos apartamentos e dez apartamentos duplos para profissionais responsáveis pela segurança.

Além do evento do empresário Mário Garnero, Temer foi assistir à Orquestra Filarmônica Bachiana, do Maestro João Carlos Martins compromisso não oficial.

Viagem ao Líbano

Temer também fez uma viagem em novembro de 2011 para a "cidade natal dos Temer", Btaaboura e para a capital do Líbano, Beirute.

Publicidade

Nessa viagem, ele inaugurou uma rua com seu nome, participou de um evento com comidas típicas e visitou familiares. 

Outro Lado

Em nota, a Secretaria de Comunicação Social da Presidência afirmou que o presidente interino, Michel Temer, sempre procurou economizar recursos públicos em suas viagens internacionais quando era vice-presidente. Empregando um número pequeno de auxiliares e procurando hospedagens mais econômicas. #Dinheiro Público #PMDB