O governo federal, sob a tutela do presidente em exercício Michel Temer, decidiu agir para o Rio de Janeiro não pagar mico na comunidade internacional. No mesmo dia em que uma denúncia envolvendo os operadores de Raio-X foi feita pela imprensa, na qual os profissionais receberiam um salário mínimo e teriam formação pela internet, o Ministério da Justiça decidiu agir e fazer com que não existisse um colapso na Olimpíada. De acordo com informações da revista Veja em reportagem publicada nesta sexta-feira, 29, a pasta do Ministro Alexandre de Moraes decidiu pedir a ajuda de militares da reserva para fazer a segurança dos jogos. Isso tudo acontece há apenas uma semana para a abertura da cerimônia, no dia 05. 

Ao todo, três mil homens militares serão chamados.

Publicidade
Publicidade

A preferência é que esses sejam os da reserva dos bombeiros e da Polícia Militar. No entanto, reservistas de outras Forças Armadas podem participar, desde que estejam "aposentados" há pouco tempo. Os militares não costumam usar a palavra aposentadoria, pois mesmo depois de pararem seus trabalhos por idade ou tempo de serviço, eles podem ser chamados a qualquer momento, caso, por exemplo, o país entre em um guerra ou necessite de forte ajuda humanitária no próprio território nacional. Na prática, isso nunca chegou realmente a ocorreu no Brasil desde a segunda guerra mundial. 

O governo avaliou que a Artel Recursos, empresa que venceu o edital para realizar esse serviço nos jogos, não teria capacidade de gerir a segurança, especialmente depois que ficou sabendo que o curso de formação era voltado para pessoas comuns, feito pela internet e que pagaria apenas um salário mínimo por todo o período dos jogos.

Publicidade

Ao todo, o contrato da empresa foi de R$ 17,3 milhões. Mesmo com todo esse dinheiro, ela decidiu poupar e muito, o que desagradou. O objetivo é apertar o cerco, especialmente depois que o Brasil tem suspeitos de terrorismo presos. Pelo menos 14 deles já foram parar em presídios de segurança máxima. As prisões são baseadas na lei antiterror. 

Serviço: Uma das exigências é que os reservistas estejam a, nó máximo, cinco anos, nessa condição.  #Michel Temer #PMDB