Após o impasse dos últimos dias, o presidente em exercício da Câmara, Waldir Maranhão, confirmou a eleição do novo presidente da casa para a próxima quinta-feira (14).

A decisão aconteceu na noite da última sexta (8), quando o atual ocupante da presidência da Câmara cancelou a reunião marcada pelo Colégio de Líderes para a próxima terça-feira (12) que anteciparia a votação do sucessor de Eduardo Cunha, anteriormente marcada pelo próprio Maranhão para o dia 14.

Para sustentar sua posição, Waldir Maranhão justificou que já havia marcado uma data para a realização do pleito e que, ao estabelecer outra data, o Colégio de Líderes desfez um ato do presidente.

Publicidade
Publicidade

Tal decisão, afirma o deputado, se caracterizaria como uma usurpação de sua competência.

Além disso, ele ressaltou que a antecipação da decisão poderia ter como consequência o benefício de alguns candidatos, com redução no tempo de discussão a respeito das candidaturas, caracterizando uma quebra de isonomia.

Segundo apurações, até o momento ainda não haveria um consenso sobre qual candidato representará a base aliada do governo. Entre os mais cotados estariam Rodrigo Maia (DEM-RJ), Rogério Rosso (PSD-DF), Beto Mansur (PRB-SP), e Fernando Giacobo (PP-PR).  #Câmara dos Deputados