O ex-presidente Lula, em depoimento à Polícia Federal, na data de 4 de março de 2016, declarou não conhecer o executivo Paulo Gordilho. O mesmo é ligado à empreiteira OAS. Em contrapartida, Gordilho é um dos investigados na operação Aletheia, que conduziu o ex-presidente coercitivamente para depor. No documento exposto pela Polícia Federal, Paulo Gordilho, sua filha Isnaia e Léo Pinheiro, dono da OAS, trocaram mensagens sobre pagamento de benfeitorias no sítio em Atibaia (SP) e no tríplex em Guarujá (SP). É comprovado que a OAS é dona do tríplex e também teria feito obras juntamente com a Odebrecht, no sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP).

Publicidade

Declaração falsa

A declaração de #Lula vai em sentido contrário ao relatório da PF. A mesma confrontou diálogos em Março, no seu depoimento. Nas mensagens apreendidas é possível notar que houve uma proximidade entre Lula e Gordilho, através de suas mensagens à filha. Nelas o executivo conta que haveria um encontro em Atibaia, no sítio Santa Bárbara. Nesse encontro estariam presentes Gordilho, Léo Pinheiro, dono da OAS, Lula e sua esposa Marisa Letícia. O encontro seria para tratar de assuntos de arquitetura referente à casa e no lago do sítio, que estaria vazando.

Mensagens sigilosas

Além dessa mensagem, Paulo Gordilho relata outro encontro com Marisa Letícia, no decorrer da mesma semana, para tratarem dos mesmos assuntos. É destaque neste relatório a excessiva preocupação de Gordilho em relação ao sigilo absoluto que lhe era imposto nos encontros. Constata-se, então, a atuação de Paulo Gordilho e da OAS nas obras do sítio em Atibaia (SP) e do tríplex no Guarujá (SP). Além do exposto, Lula estava a par de todas as obras que seriam feitas nos dois imóveis. A Polícia Federal declara no relatório que Léo Pinheiro e Gordilho participaram efetivamente nos projetos de cozinha, instalados nos dois imóveis, já exposto anteriormente.

A defesa de Lula

A defesa do ex-presidente, em nota, negou todo o exposto e disse que o sítio em Atibaia (SP) e o tríplex no Guarujá (SP) não pertencem a Lula e sua família. Diz que os seus imóveis foram devidamente declarados à Receita Federal. A defesa de Lula ressalta, ainda, que a #Lava Jato possui uma obsessão em tentar incriminar o ex-presidente. Declara, também, que o ex-presidente não é obrigado a lembrar dos nomes de todas as pessoas que tiraram fotos com ele. #Justiça