Novas investigações chegam próximas à fatos surpreendentes, onde pessoas íntimas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foram beneficiadas com esquema de propina articulado pelo ex-presidente. Foi descoberto que o imóvel ocultado pela família de #Lula tem questões não resolvidas e perturbadoras. Não foi só Lula quem se beneficiou do esquema de irregularidades do triplex de Guarujá, uma outra personagem entra em cena e é alvo das investigações, é o que está provando o Ministério Público de São Paulo, na Operação Alcateia.

Vários documentos estão comprovando que uma amiga de Lula, Rosemary Noronha, foi presenteada pelo ex-presidente com um apartamento de uma Cooperativa dos Bancários (Bancoop), que inclusive já faliu, de modo que ela não gastou nenhum centavo para adquirir o imóvel. 

Rose trabalhou no escritório da Presidência em São Paulo, a pedido do ex-presidente, e foi beneficiada com um duplex de 150 metros, numa área nobre da Moóca.

Publicidade
Publicidade

A amiga de Lula não conseguiu provar como adquiriu o imóvel, não tem por exemplo, nenhum comprovante de alguma parcela paga, afirma o promotor Cássio Conserino.

Outros amigos de Lula

O promotor também ressaltou que além de Rosemary, outros amigos íntimos de Lula foram presenteados pelo ex-presidente, como o presidente da #CUT, Vagner Freitas, e a própria Central Única dos Trabalhadores. Quando a cooperativa faliu, várias famílias perderam o sonho da moradia, mas os amigos de Lula, de acordo com as investigações, foram beneficiados com imóveis sem gastarem um único tostão. 

Notoriedade

Rosemary era tão próxima de Lula, que as contas pessoais do petista eram administradas por ela. Lula convidou Rose para ser secretária da sede do Partido dos Trabalhadores em São Paulo, onde ficou por 12 anos.

Publicidade

Depois Lula nomeou sua amiga como assessora do gabinete em São Paulo.

O poder de Rose era tão forte, que até mesmo a mulher do ex-presidente, Marisa Letícia, se incomodava com esse fato. A amiga de Lula deixou o governo após ser alvo de denúncias na Operação Porto Seguro, onde foi acusada de tráfico de influência em órgãos públicos. #Corrupção