Através de seu Twitter verificado, o ator José de Abreu, conhecido por ser confessamente petista, decidiu atacar um grupo de artistas que nesta segunda-feira, 08, mostrou apoio oficial e presente ao juiz federal Sérgio Moro, que comanda a Operação Lava-Jato, principal investigação do país que apura os desvios de #Corrupção da maior estatal do Brasil, a Petrobrás. Nomes como Fagner, Vitor Fasano e Susana Vieira foram até a cidade de Curitiba, no Paraná, para mostrar apoio ao homem que recebeu o prêmio de uma das cem personalidades mais influentes do planeta pela revista americana Time. Outro apoio dado pelos artistas foi ao projeto do Ministério Público Federal, que criou 10 medidas contra a corrupção.

Publicidade
Publicidade

José de Abreu não gostou de nada disso. Ele disse que Sérgio Moro estava mal por ter poucos nomes o apoiando. "Na Boa, Susana Vieira, Vitor Fasano e o ator pornô é tudo o que ele tem no meio artístico? Tá maus", escreveu o ator que neste ano provocou grande polêmica ao cuspir em um casal que havia o hostilizado em um restaurante japonês de São Paulo. O ódio do profissional da dramaturgia mostrou não ter qualquer controle logo em seguida. "Atores sem cérebro dando apoio ao juiz. Quer dizer que ele não tem moral para seguir sem isso? Moro precisa disso", publicou ele no microblog de 140 caracteres. 

Atuação na web

Chamou a atenção o fato de Abreu soltar farpas até para a atriz Susana Vieira, com quem trabalhou diversas vezes. Nas redes sociais, José costuma soltar bastante veneno para defender Dilma e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Publicidade

Ele é filiado ao Partido dos Trabalhadores e constantemente tenta achar argumentos para defender seu clube político.  No entanto, quando a coisa esquenta e ele é atacado, o ator simplesmente bloqueia o seu Twitter para impedir que outras pessoas falem mal dele. De acordo com o profissional da dramaturgia, ele faz isso pois recebe muitas ameaças de morte nas redes sociais. E você, acha que personalidades devem se meter no mundo político? Comente.  #Sergio Moro