O pecuarista José Carlos Bumlai, grande amigo do ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva, resolveu fazer algumas declarações à #Polícia Federal. Bumlai revelou ao delegado Márcio Anselmo que a mulher de Lula, Marisa Letícia Lula da Silva, pediu um favor a ele. Ela queria que Bumlai ampliasse as acomodações do sítio em Atibaia para que pudesse passar os finais de semana junto com a família. De acordo com o pecuarista, a ex-primeira dama e o empresário Fernando Bittar tinham convidado ele para ir ao sítio em 2010 e lá ele ficou sabendo que o sítio foi comprado por Fernando com ajuda de seu pai, mas que seria para uso da família.

Buscando atender o pedido de Marisa, Bumlai procurou um engenheiro para começar as obras.

Publicidade
Publicidade

Depois de alguns dias, o pecuarista recebeu um telefonema de "Aurélio" pedindo para que parassem as obras, pois não estava caminhando do jeito que eles queriam, e uma construtora iria se encarregar de terminá-la. Segundo Bumlai, eles tinham pressa nessa reforma.

Lava Jato

Os investigadores da força-tarefa da #Lava Jato suspeitam que o sítio é do ex-presidente Lula, porém ainda estão juntando as provas. O sítio foi comprado por R$ 1,5 milhões e fica em Atibaia. O imóvel está no nome de dois empresários que são sócios do filho de Lula, Fernando Bittar e Jonas Suassuna.

Abatido por um câncer de bexiga, José Carlos Bumlai deixou a sede da PF acompanhado de seus advogados.

Julgamento

O juiz federal Sérgio Moro decidiu que é de sua competência julgar os processos de Lula. Os advogados do ex-presidente tentaram trocar o juiz dizendo que Moro não tem competência para julgar Lula.

Publicidade

De acordo com Moro, se o Ministério Público Federal trabalha com a hipótese de que Lula tem participação no esquema de corrupção da Petrobrás e pelas benfeitorias no sítio em Atibaia, a competência para avaliar esses fatos é da 13° Vara Federal de Curitiba.

As investigações estão em andamento e caso se confirme corrupção por parte do ex-presidente, é suficiente o julgamento e a competência deste juízo, disse Moro.