O grupo de hackers Anonymous decidiu atacar o deputado federal Marco Feliciano. Nesse fim de semana, a entidade que costuma fazer revelações sobre personas non gratas decidiu fazer o mesmo com o representante do PSC de São Paulo depois que esse recebeu uma séria acusação de estupro. Uma jovem ex-militante do PSC diz que o deputado tentou molestá-la sexualmente. Ele nega veementemente as acusações. No Facebook, o Anonymous publicou o que chama de "dossiê" com a verdade sobre o parlamentar que recentemente desistiu de disputar a prefeitura de São Paulo.

O grupo de hackers aponta, por exemplo, que Feliciano seria suspeito em desviar verbas públicas e ter em seu gabinete funcionários contratados de modo indevido.

Publicidade
Publicidade

O Anonymous chama a prática de "funcionário fantasma", que costumam ser pessoas que recebem para não trabalhar. Além disso, o grupo ativista vincula ao parlamentar do mesmo partido de Jair Bolsonaro à família Bauer. O Anonymous diz que a família Bauer teria ajudado um dos assessores do pastor evangélico, o também deputado Talma Bauer, de enriquecer de modo ilícito e que isso aconteceu quando Feliciano estava como deputado na Câmara 

Neste sábado, 06, o parlamentar gravou um vídeo ao lado da esposa, Edileuza, no qual informa que é inocente das acusações de tentativa de estupro de uma jovem em seu gabinete. Ele diz que perdoa a moça, mas que tomará todas as medidas cabíveis necessários. Supostas conversas da jovem com o deputado foram divulgadas por alguns portais. Em algumas delas, a militante evangélica teria enviado fotos nuas para o pastor.

Publicidade

A mulher que chegou a abrir um boletim de ocorrência contra o deputado, também gravou um vídeo negando tudo. 

As denúncias feitas com o Anonymous ainda falam de doações feitas pela mesma família, que depois conseguiu cargos em seu gabinete. O número de acessos ao suposto 'dossiê' foi tão grande que a página do grupo de hackers, curiosamente, acabou saindo do ar. 

Veja abaixo o link com o 'dossiê' feito contra o deputado federal evangélico:

#Governo