Um grande amigo de #Lula e companheiro de suas viagens internacionais, o ex-lobista da empresa Odebrecht Alexandrino Alencar, disse que está negociando uma delação premiada com os procurados da Lava Jato. Alencar ressaltou que vai falar tudo o que sabe e que não deve nada ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O ex-lobista comentou que não poupará Lula e que se tiverem coisas do ex-presidente para dizer, não se amedrontará com isso.

Alencar era um homem "importante" que caminhava junto com o ex-presidente. Além de grande amigo de Lula, ele era responsável pelos acordos com as empresas em relação às palestras de Lula.

Publicidade
Publicidade

Era o ex-lobista que viabilizava os pagamentos das empreiteiras ao petista.

Curitiba

Alexandrino passou a sexta-feira (05) em Curitiba negociando o acordo de delação que pretende firmar com o Ministério Público Federal. Junto com ele estava também o ex-presidente da #Odebrecht Benedito Junior, com a mesma intenção de Alencar. ambos estavam acompanhados dos seus advogados.

O investigadores da Operação Lava Jato acreditam que os dois podem fornecer informações importantíssimas sobre Lula e seria um progresso se esse acordo de delação fosse firmado. 

Marcelo Odebrecht

O empresário Marcelo Odebrecht pode a qualquer momento fechar uma delação. Os processos avançam bem, porém ele ainda não assinou a delação. Os procuradores estão em conversa com Odebrecht para que ele possa fornecer informações preciosas para o seguimento das investigações.

Publicidade

A delação de Marcelo Odebrecht só não foi aceita ainda, porque ele teria que fornecer fatos diferentes do conhecimento dos investigadores, pois muitos já fizeram delação antes dele e contaram muitas coisas. Se Marcelo for apenas repetir o que os outros falaram, os procuradores não vão aceitar a sua delação.

As revelações de Obebrecht podem prejudicar muitos políticos e atinge os Três Poderes da República. De acordo com os investigadores da Lava Jato, as instituições podem sofre um grande impacto com a delação de Marcelo e não se sabe se elas sobreviveriam depois dos fatos provados. #Corrupção