O deputado federal Onyx Lorenzoni, eleito pelo Democratas do Rio Grande do Sul, perdeu a paciência com o Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes. O magistrado fez nessa semana graves críticas contra a principal investigação do país, a Lava-Jato. Ele chegou a dizer que o "cemitério estaria cheio de heróis", irritando até mesmo associações de juízes, que dizem que esse tipo de postura não condiz com o cargo ocupado por Mendes. 

O deputado federal Onyx Lorenzoni então decidiu contar o que sabe, dizendo que as instituições brasileira mostraram-se falhas para se livrar da corrupção e que são as investigações, como a Lava-Jato, que acabam contando o que realmente acontece nos bastidores da política nacional.

Publicidade
Publicidade

Ele pede ainda lucidez a #gilmar mendes, dizendo que é essência do Ministério Público Federal tem que atuar contra a corrupção e pediu ajuda e apoio às 'Dez Medidas' propostas pelo órgão.

Onyx diz que Gilmar agiu com destempero sem explicações e chegou a citar o significado de palavras duras usadas pelo Ministro, como chamando quem propôs as 'Dez Medidas contra Corrupção', grupo do qual Onyx faz parte, de "cretino". O deputado disse que existe muito mérito nos trabalhos dos Procuradores e que ninguém é dono da verdade absoluta. 

"Esse é o país que corre atrás do prejuízo. Eu espero que uma pessoa da magnitude do Ministro reflita o mal que ele fez ao país chamado Brasil quando fez essas declarações. As Dez Medidas contra a corrupção é uma das oportunidades que essa casa (a câmara) tem de mudar o país", argumenta o política, que a certo ponto de sua fala chega a ser aplaudido. 

De acordo com informações da coluna Radar, do site da Revista Veja, Gilmar deve começar a mudar seu discurso devido à pressão que tem recebido por criticar o trabalho do Ministério Público e bater de frente com Sérgio Moro, tido como um "super herói" por muitos brasileiros. 

Veja abaixo o vídeo que mostra o deputado revoltado com a situação que o Ministro do Supremo Tribunal Federal (#STF), Gilmar Mendes: