Nesta segunda-feira, 29, a presidente afastada Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT), fez sua defesa no Senado Federal. Além de ler um discurso bastante grande, com cerca de 45 minutos, ela respondeu aos demais Congressistas. Durante respostas aos Senadores, ela citou diversas vezes o presidente dos Estados Unidos Barack Obama. Ao falar de Cuba e da política monetária americana, Dilma já citou o americano mais vezes que seu companheiro político, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em seu depoimento no Senado. 

A petista ainda disse que era fundamental defender ideologicamente Cuba, fazendo muita gente ficar sem entender seus reais argumentos.

Publicidade
Publicidade

Nas redes sociais, muitas pessoas fizeram piadas com os argumentos da petista, querendo entender o que realmente estava a acontecer. Para os mais atentos, Rousseff apenas estava querendo amenizar a situação para Lula, que em 2018 é tido como provável candidato à presidência da república. 

Os candidatos às Eleições municipais estão tentando literalmente fingir que não tem nenhuma relação com a legenda. As cor vermelha, por exemplo, a cada dia fica mais esquecida, assim como a estrela.

Comparação com cachorro

O senador capixaba Magno Malta, eleito pelo Partido da República do Espírito Santo, afirma que os senadores que estiveram desde o começo ao lado da presidente afastada, #Dilma Rousseff, têm "espírito de cachorro", pois estão dispostos a "morrer com o dono".  Ele prosseguiu, dizendo que os mudaram de lado têm "espírito de gato", pois gostam do "ambiente".

Publicidade

O político, que é conhecido pelas suas falas irônicas, acaba perguntando se a petista estava mentindo agora ou durante a campanha eleitoral. 

Na resposta ao Congressista, a petista afirmou que ela não controla o futuro. "O ser humano não controla o futuro". Sobre ter mentido durante a campanha pela reeleição, em 2014, a petista negou e alegou que não tinha "bola de cristal" – referência aos fatores externos a seu mandato que, segundo ela, contribuíram para o agravamento da crise econômica. #PT #Impeachment