A presidente afastada Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT), está disposta a proteger um país que muito a apoio durante todo o seu mandato, a #Venezuela. Nesta quarta-feira, 17, por exemplo, ela teve um reunião no Palácio da Alvorada, em Brasília, na qual fez graves críticas ao comportamento do Ministro das Relações Exteriores, José Serra, do PSDB. O tucano está solicitando para que a Venezuela não fique na presidência no Mercosul, lembrando que esse não consegue sequer controlar a própria economia e a política. A Venezuela tem hoje a maior inflação do mundo e a população local chega a passar fome e ter falta de remédios. 

Dilma disse que vai lutar para ajudar a continuar com o poder de presidente Nicolás Maduro.

Publicidade
Publicidade

Ela ainda criticou um boato que foi divulgado na imprensa em que um chanceler do Uruguai, identificado como Rodolfo Nin Novoa, teria dito que o Brasil estaria tentando comprar o voto dos demais países contra a Venezuela. O presidente em exercício Michel Temer, do PMDB, não gostou da informação e pediu explicações. O chanceler então explicou o mal entendido e a situação diplomática foi resolvida. 

José Serra indicou que ajudará o povo venezuelano a sair dessa crise. Ele ainda pediu a ajuda de outros países de todo o mundo, lembrando que não existe uma democracia no país de Maduro. Ele citou que existem muitos presos políticos por lá por simplesmente darem sua opinião. 

"O Brasil não pode se dar ao luxo de achar que compra algum país. Nós não somos imperialistas, nunca fomos, não podemos tratar países desta forma", explicou na reunião a companheira política do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Publicidade

Ela ainda voltou a falar que não vai desistir de se defender do processo de impeachment. A votação contra Dilma deve acontecer até o dia 29 de agosto. Para que ela seja deposta são necessários pelo menos 54 votos. Na semana retrasada, quando foi aprovado o relatório do Senador Antônio Anastasia, a petista teve 59 votos contra ela. Ao todo são 81 Senadores que podem votar.  #PT #Dilma Rousseff