A presidente ré e afastada Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT), sabe que nos próximos dias já pode ser chamada de "ex" chefe de estado do Brasil. Por isso, mesmo que meio "chorosa", ela começa o seu ritual de despedida. Para começar, a companheira do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva iniciou a despedida pelos funcionários que mais conviveu nas últimas semanas, o do Palácio da Alvorada, em Brasília. Assessores também já ouviram palavras de agradecimento de Rousseff, como informa o jornalista Cláudio Humberto em sua coluna publicada nesta quinta-feira, 25, pelo site 'Diário do Poder'. 

O tom de despedida mostra que até a própria Dilma já sabe o seu destino.

Publicidade
Publicidade

Pouca gente acredita que algo de diferente vai acontecer. Os próximos a receberem o adeus da petista são os seguranças da primeira mulher eleita do Brasil. O pessoal de serviço, camareiras e outras pessoas que arrumam a cama e o quarto de Rousseff também não receberam nenhuma mensagem de obrigado. Nos últimos dias, o Palácio da Alvorada tem ficado mais vazio do que o normal. A falta de visitas fez com que a política chamada de turrona se aproximasse da criadagem, conversando e confessando a eles que a coisa está difícil. 

Difícil é esperançoso. As dificuldades da petista são vistas como praticamente impossíveis de serem transpostas pelo próprio Partido dos Trabalhadores (#PT). Na próxima segunda-feira, 29, ela irá ao Senado Federal ler o seu último discurso de defesa. Nele, Rousseff tentará cativar o cotação dos Congressistas.

Publicidade

Para que haja a deposição, são necessários 54 votos. Ao todo, são 81 Senadores. 

Mesmo com Dilma sendo chamada de chata e mal educada por muitas vezes, os servidores já confessam que irão sentir sua falta. Afinal, foram quase seis anos de muita convivência. Há também a incerteza de como Michel Temer se comportará no Palácio. Segundo o jornalista Lauro Jardim, do jornal 'O Globo', Rousseff já confessou a Jacques Wagner que quer um pedido urgente: "voltar o mais rápido possível para casa, em Porto Alegre".  #Dilma Rousseff #Impeachment