A presidente afastada Dilma Rousseff fez um pronunciamento na tarde desta terça-feira, 16. Na fala, ela leu uma carta que é dirigida aos eleitores brasileiros. No texto, a petista que responde a um processo de #Impeachment quase em fase final, já que a previsão é que a votação aconteça até o dia 29 desse mês. Durante o discurso, que foi transmitido oficialmente pelo Facebook, a companheira política do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve que lidar com piadas de brasileiros, que querem ver ela bem longe do poder. "Já vai tarde", disse um eleitor à uma das políticas mais impopulares da era da democracia. 

A petista chegou a ter em seu segundo mandato índices que chegam a 80% de rejeição.

Publicidade
Publicidade

No texto lido nesta terça, a primeira mulher eleita à presidência disse que a saída para a crise e unidade nacional é a democracia. Em seguida, ela que tanto teve dificuldades em unir políticos rivais, pediu um pacto de fortalecimentos aos valores da democracia, visando assim o desenvolvimento da economia e também as conquistas sociais. Rousseff garantiu que se a carta passar ela mesma irá debater essa transição com o Congresso Nacional, coisa que sempre teve muita dificuldade de fazer. 

O pronunciamento foi feito no Palácio da Alvorada e deve ser um dos últimos no mandato de Dilma. Há mais de três meses ela está afastada do cargo, sendo substituída pelo vice, que pode virar presidente efetivo com a deposição de Rousseff. Curiosamente, uma das propostas da petista é moralizar campanhas eleitorais.

Publicidade

Isso acontece depois da campanha dela para a reeleição virar objeto de suspeita de adversários e de autoridades investigadoras. 

O ex-marqueteiro do #PT, João Santana, acabou sendo um que confirmou que a campanha de Dilma foi bancada por empreiteiras investigadas na Lava-Jato, principal investigação em vigor no país. Rousseff ainda disse que tem humildade e determinação para a fazer a construção da democracia e que seria necessário ela ficar no poder para isso. 

Veja abaixo o momento em que Dilma lê a carte pedindo plebiscito no Brasil:

#Dilma Rousseff