Nesta quarta-feira, 31, a ex-presidente do Brasil Dilma Rousseff sofreu duas votações contra ela. Em uma, ela perdeu e na outra ganhou. Na mais importante, a petista perdeu o mandato por 61 votos a 20. Já na outra, que julgava se ela deveria ou não perder os direitos políticos, a petista venceu. Por 42 votos Sim, 36 Não e 3 Abstenções, a companheira política do ex-presidente Luiz Inácio da Silva ganhou a chance até de se candidatar novamente à presidência.

A votação confusa deixou muitos brasileiros confusos e sem não entenderem nada. No entanto, ficou claro que o que os Congressistas queriam é que a petista saísse do poder.

Publicidade
Publicidade

Caso perdesse, Dilma ficaria oito anos sem exercer nenhuma função pública. 

O senador Jorge Viana (#PT-AC) chorou no apelo aos senadores para que não deixem Dilma perder os direitos políticos. "Que democracia estamos construindo?", disse. "Não estamos em Ouro Preto enforcando ninguém e depois, para certeza da morte, esquartejando", comparou.Também nesse apelo a favor de Dilma, João Capiberibe fez um "apelo em nome da conciliação". "O sectarismo do plenário só faz nos dividir", argumentou. #Dilma Rousseff #Impeachment