Foi concluída, por volta das 13h30 de hoje, a votação do impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff (PT). Os 81 senadores presentes decidiram por 61 votos a favor e 20 contra, para que a petista perca o mandato eletivo definitivamente. O processo de #Impeachment foi iniciado quando o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB) decidiu aceitar um dos vários pedidos para abertura do processo, que correu nos últimos meses nas duas Casas Legislativa com anuência do Supremo Tribunal Federal (STF), que orientou e esteve presente no julgamento de Dilma.

A votação foi acompanha pelas principais emissoras de televisão e jornalistas presentes dentro do Senado Federal, que deram a notícia aos brasileiros.

Publicidade
Publicidade

No momento de fechamento desta reportagem, a defesa de Dilma se manifestava para que ela não perdesse os direitos políticos por 8 anos junto com a possibilidade de ocupar qualquer cargo ou função pública.

Só o interrogatório de Dilma durou cerca de 13 horas, com a presença da presidente afastada no Senado. Seu discurso inicial privilegiou um agradecimento aos correlegionários de seu mandato que elaboraram e financiaram movimentos sociais e uma campanha pelo Brasil contra o seu impeachment. Dilma também relembrou sua trajetória, passando pelo período em que foi torturada brutalmente pela ditadura militar após participar da luta pelo fim do regime.

A partir de hoje, dia 31 de agosto, o presidente interino, Michel Temer (PMDB), que comanda o país desde maio deste ano, assume o cargo de Dilma, tendo que cumprir até janeiro de 2018.

Publicidade

Está previsto para que a posse do peemedebista ocorra ainda nesta quarta, no plenário da Câmara dos Deputados.

#Dilma Rousseff tem até 30 dias para desocupar suas dependências do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, em Brasília. O local conta com menos servidores ativos, sendo apenas oito pessoas mais os seus próprios assessores, motorista e seguranças.

Julgamento

A  sessão começou por volta das 11h da manhã, comandada pelo presidente do STF, o ministro Ricardo Lewandowski, seguindo os preceitos da Constituição Federal de 1988.

O processo levou seis dias de julgamento no Senado Federal. Até que o impeachment fosse concluído, foram sete votações no total, cumprindo todas as fases do processo para retirada da presidente da República. #PT