A ideia de que a cúpula do #PT e alguns companheiros da presidente afastada, Dilma Rousseff, haviam a “abandonado” e deixaram de acreditar na presidente petista foi repudiada publicamente em nota enviada, nessa segunda-feira (1º), à imprensa. A nota foi enviada aos meios de comunicação pelo próprio presidente do PT, Rui Falcão, que afirmou que a ideia de um total abandono do partido com Dilma, não existe.

Rui Falcão fez questão de afirmar que o partido dos trabalhadores está integralmente apoiando o compromisso de Dilma para que ela retorne à presidência. E que as informações do abandono de Dilma não passam de “invencionices” de apoiadores do golpe e da continuidade do “governo usurpador” de Michel Temer.

Publicidade
Publicidade

A manifestação pública de Falcão vem à tona após a reportagem do jornal Folha de São Paulo que afirmou que existem dirigentes do PT que não acreditam mais no retorno da presidente ao Palácio do Planalto. De acordo com a reportagem, existe uma “fadiga” entre os partidários em defender o retorno de #Dilma Rousseff ao poder.

Candidatos do PT nas eleições municipais não querem a presença da petista em campanhas

A reportagem da Folha diz que nenhum dos integrantes da cúpula do PT acredita no retorno da presidente ao poder. E que, após o término do processo de #Impeachment, caso seja confirmado seu afastamento definitivo do maior cargo executivo do país, nenhum dos candidatos petistas que disputarão as eleições municipais em todo o país quer a presença de Dilma em campanhas.

A maioria dos petistas acreditam que a imagem de Dilma pode prejudicar os candidatos do PT nas eleições municipais.

Publicidade

A preocupação é tanta que até uma reunião foi marcada para discutir o assunto e deverá acontecer essa semana, para que seja definida a participação ou não de Dilma em campanhas eleitorais.

Entrevista de Dilma contrariou cúpula petista

Os integrantes da cúpula do PT teriam ficados contrariados após uma entrevista de Dilma, na qual ela afirma que o PT deveria ser responsabilizado pelo pagamento ao marqueteiro João Santana. Dilma afirmou que os recursos utilizados para pagamento do marqueteiro vinham de caixa dois.

Partidários acreditam que Dilma não deveria ter responsabilizado o partido e apenas ter se eximido da responsabilidade.