Poucas horas após ser afastada em definitivo da Presidência da República, #Dilma Rousseff fez um pronunciamento oficial na tarde desta quarta no Palácio da Alvorada, em Brasília. Cercada de aliados, dentre eles, o ex-presidente Luíz Inácio Lula da Silva, a antiga governante não escondia a insatisfação pelo fato de 61 dos 81 senadores terem aprovado, no começo da tarde, o seu #Impeachment e considerou ter sofrido um segundo golpe.

"O primeiro, o golpe militar, apoiado na truculência das armas, da repressão e da tortura, me atingiu quando era uma jovem militante. O segundo, o golpe parlamentar desfechado hoje por meio de uma farsa jurídica, me derruba do cargo para o qual fui eleita pelo povo.

Publicidade
Publicidade

É uma inequívoca eleição indireta, em que 61 senadores substituem a vontade expressa por 54,5 milhões de votos . Acabam de derrubar a 1ª mulher presidenta do Brasil, sem que haja qualquer justificativa constitucional para este impeachment".

Recebendo o apoio de cerca de 30 manifestantes contrários ao impeachment, Dilma lembrou das conquistas alcançadas durante os 13 anos de governo do PT, agradeceu o carinho da população e garantiu que, mesmo abatida, permanecerá lutando pelo bem da população brasileira, especialmente os menos favorecidos.

"Saio da Presidência como entrei: sem ter incorrido em qualquer ato ilícito; sem ter traído qualquer de meus compromissos com dignidade e, carregando no peito, o mesmo amor e admiração pelas brasileiras e brasileiros e a vontade de lutar pelo Brasil. Abrimos um caminho de mão única em direção à igualdade de gênero.

Publicidade

Nada nos fará recuar", disse, complementando.

"Neste momento, não direi adeus a vocês. Tenho certeza de que posso dizer 'até daqui a pouco'. Um carinhoso abraço a todo povo brasileiro, que compartilha comigo a crença na democracia e o sonho da justiça ", encerrou.

Dilma Rousseff teve o seu mandato interrompido após ter sido julgada e condenada por operações irregulares na Lei de Responsabilidade Fiscal, as chamadas "Pedaladas Fiscais". Com o seu afastamento, o vice Michel Temer, que vinha exercendo o cargo de forma interina, será efetivado à partir das 16h (de Brasília), em Sessão Solene no Senado Federal. #Dentro da política