A presidente afastada Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT), não conseguiu cativar quem trabalhou para ela, especialmente funcionários simples, como copeiras, jardineiros e motoristas. De acordo com informações do colunista Cláudio Humberto, em matéria publicada neste domingo, 21, no 'Diário do Poder',  a legenda do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vem tentando melhor a imagem da petista. Por isso, chegaram a bancar o que se chama de um "plano genial", fazer uma espécie de 'Arquivo Confidencial', aquele quadro onde todo mundo chora no Faustão. 

A gravação seria realizada com os funcionários do Palácio do Alvorada, onde a petista terá apenas 30 dias para "meter o pé", caso sua deposição seja confirmada em uma votação prevista para acontecer até o final de agosto pelo Senado Federal.

Publicidade
Publicidade

A questão é que fazer a tal homenagem virou um impasse. O motivo é que as pessoas não são gratas ou próximas à Dilma. Pior, a intenção de fazer algo emotivo acabou recebendo vários nãos, o que faz com que a ideia caia por terra e seja abortada. O motivo, segundo o colunista do 'Diário do Poder' é  que Dilma grita demais, faz grosseria e maltrata todos à sua volta.

Cansados do comportamento da petista e já sabendo que haverá um hóspede novo no local em breve, o presidente em exercício Michel Temer, do PMDB. De acordo com o repórter, a assessoria de Rousseff teria até acreditado que o plano infalível daria certo, solicitando a presença da TV Pública para gravar tais depoimentos. O órgão que é pago por todos os contribuintes até iria fazer o trabalho para o 'Arquivo Confidencial' da petista, mas não tinha ninguém para gravar pra ela. 

Uma funcionária que trabalha na cozinha do Palácio do Alvorada ficou tão irritada com a pressão que não pensou duas vezes, pediu demissão do serviço.

Publicidade

A explicação seria  que a assessoria de Rousseff teria pressionado tanto que a funcionária nem ligou de ficar sem o emprego. As histórias de grosseria de presidente são conhecidas há anos, mas ela só diz que é um pouco dura.  #PT #Dilma Rousseff #Impeachment