A conhecida personalidade baiana Geddel Quadros Vieira Lima nasceu na cidade de Salvador no dia 18 de março de 1959, tendo atuado em diversas ocupações profissionais, tais como: cultivador de cacau, administrador de empresas, pecuarista; porém, foi no mundo da política onde ganhou maior notoriedade, tanto que na atualidade ocupa o cargo de ministro da Secretaria de Governo do presidente interino #Michel Temer

Além de todas as atividades seculares que o ministro baiano desempenha no seu dia a dia, esse parece ter o dom de atrair sobre si a atenção da opinião pública de forma bastante negativa, devido principalmente à sua postura política cotidiana no mínimo duvidosa, o que parece ser o mote do governo interino que assumiu o poder no Planalto Central em substituição à presidente #Dilma Rousseff, eleita com mais de 54 milhões de votos. 

No ano de 1993, Geddel Lima já se encontrava atolado até o pescoço no escândalo nacional que foi batizado de "Anões do Orçamento" onde os políticos da época criavam instituições sociais de caráter fantasma ou faziam com que empreiteiras fossem agentes no desvio de dinheiro por meio de emendas políticas no orçamento do governo.

Publicidade
Publicidade

Era o deputado da Bahia, José Alves, aquele que ganhou 56 vezes na loteria, coincidentemente em 1993, que liderava toda a rede nefasta de corrupção e Geddel foi um dos principais sustentáculos de Alves, abrindo as porteiras para a concessão de emendas e mais emendas para o político baiano. Geddel ficou sob a acusação de ter sido destinatário ainda de dinheiro oriundo de tais empreiteiras. 

Na manhã deste último dia 18 de agosto, quinta-feira, o ministro em questão foi alvo da fúria e indignação de parte da sociedade brasileira que faz resistência ao que chama de golpe de Estado de Temer e sua trupe, na tentativa de estabelecer o impeachment definitivo da presidente Dilma. Logo que o avião em que Geddel se encontrava aterrissou na capital da Bahia, o político foi alvo de duras críticas de alguns outros passageiros que também estavam no interior da aeronave. 

O passageiro que parece ter sido o responsável por iniciar o escracho para com Geddel foi também o responsável por filmar praticamente tudo o que estava acontecendo, se aproveitando da oportunidade para chamar o ministro da Secretaria de Governo de 'golpista', e ainda disse que Lima prestava serviços a Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara dos Deputados, o qual está na iminência de ter de abandonar o mandato pelo vergonhoso motivo de quebra de decoro parlamentar. 

O ministro pelo PMDB da Bahia, que tem fama de valentão e de ser ríspido com os seus desafetos, dessa vez preferiu ficar bem quieto e simplesmente fingiu que os acontecimentos ao seu redor não eram com ele, mesmo com o manifestante responsável pela filmagem apontando diretamente o dedo na direção dele de modo explícito. 

Uma das frases ácidas do passageiro para Geddel foi a seguinte: "Temos aqui no avião Geddel Viera Lima, do governo golpista do Michel Temer, do Eduardo Cunha.” Enfim, Temer e seus ministros interinos estão longe de ser uma unanimidade nacional no que diz respeito às boas práticas de liderança política.

Publicidade

#Crise no Brasil