Na quarta-feira, 10, os Senadores brasileiros votaram o relatório de Antonio Anastasia, que conclui que a votação do processo de impeachment desse realmente ser realizada. A votação acabou apenas na madrugada de quinta-feira, 11, tendo um placar de 59 votos contra a presidente afastada Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (#PT), e apenas 21 a seu favor. Um dos Congressistas, Renan Calheiros, só votaria em caso de empate. O peemedebista, no entanto, pode ser um dos votantes da sessão que deve ocorrer até o dia 29. Para que ocorra a deposição, são necessários pelo menos 54 votos dos 81. Como vimos, a companheira política do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aparece com enorme desvantagem.

Publicidade
Publicidade

Talvez por isso, a Senadora Gleisi Hoffmann, do Partido dos Trabalhadores do Paraná, tenha insistido na ideia de que a turma que apoia o presidente em exercício Michel Temer, do PMDB, seja golpista. No plenário, ela chegou a insinuar que o que estava a acontecer no Senado seria um crime. Não demorou muito, é claro, para que ela fosse rebatida por uma das colegas. Ana Amélia subiu ao plenário e mostrou outro ponto de vista, que o crime que existiu no Brasil acabou sendo incrivelmente apoiado pelo governo. Ela cita as promessas mentirosas de Dilma em sua campanha e como os brasileiros mais pobres foram justamente os mais afetados por tudo de ruim que ocorreu no governo Dilma. 

Ana Amélia continua e chega a ser aplaudida ao dizer que prefere ser chamada de golpista e estar ao lado da Justiça, do que do de corruptos que se acham puros.

Publicidade

Ela cita o excelente trabalho do juiz federal Sérgio Moro e o fato de todo o processo de impeachment estar sendo observado pelo Supremo Tribunal Federal. Durante a fala de Ana Amélia, o Ministro Ricardo Lewandovski observou tudo. Mais tarde, ele mesmo chegou a mandar Gleisi ficar quieta e até solicitou que o microfone dela fosse cortado.

Veja abaixo o vídeo que mostra o momento que Ana Amélia humilha Gleisi e ela fica de cabeça baixa, sem tem o que dizer: