A colunista do The Wall Street Journal, Mary Anastasia O’Grady, aproveitou o início dos Jogos Olímpicos para fazer duras críticas ao governo brasileiro, principalmente ao ex-presidente Luís Inácio #Lula da Silva e sua sucessora Dilma Rousseff.

Ela afirma que na época em que a eleição para sede do evento esportivo se concretizou, o país se encontrava muito bem financeiramente e evoluindo em seus índices cada vez mais, e que em longo prazo, São Paulo poderia ser a quinta metrópole do mundo no ano de 2025. Para a editora, o que se vê agora, é nada mais nada menos que uma forte crise assolando a população, com uma inflação de 10%, e índice de déficit do PIB de 8%.

Publicidade
Publicidade

Para ela, Lula e Dilma seguiram o mesmo estilo de conduta e ocultaram muitos problemas que, hoje em dia, estão escancarados para o mundo todo ver. "A Caixa Econômica Federal e o BNDES expandiram rapidamente o crédito, o que foi arriscado e provocou inflação, mas o Banco Central ignorou o problema”, decretou.

Ainda na publicação, O’Grady diz que será um milagre se não ocorrerem problemas graves durante as Olimpíadas, já que as semanas que antecederam os Jogos foram sombrias e mostravam que tudo daria errado.

A partir deste ponto é que ela decidiu expor sua opinião sobre Lula, afirmando que ele enganou o mundo ao tentar se mostrar de esquerda, mas do lado oposto de Hugo Chávez, com um “novo e melhorado socialismo com um toque de samba”.

#Crime contra a nação

A colunista ainda destaca que o ex-presidente está sendo investigado pela operação Lava-Jato, como réu, por tentar fraudar provas, comandadas pelo Juiz Federal Sérgio Moro.

Publicidade

A colunista trata também da corrupção na classe política, de um modo geral. “Os políticos do Brasil aspiram à grandeza de Primeiro Mundo, mas preservam instituições de terceiro. Não porque não entendam a eficácia das instituições independentes. É justamente porque as entendem”, disse. No encerramento do artigo, a mesma destaca que “se a fraude política para levar uma nação à ruína fosse crime, ambos já estariam condenados”. #Crise econômica