Os governos federal e municipal do Rio de Janeiro decidiram que vão ajudar a pagar pelo show da cantora Anitta e de outros artistas na abertura da Olimpíada, que acontece nesta sexta-feira, 05, no Maracanã. O anúncio foi feito nesta quinta-feira, 04, pelo Ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha. A vaquinha será destinada ao Comitê Olímpico Internacional, que opera no vermelho. Além da abertura, o dinheiro também vai ajudar a bancar o encerramento da Olimpíada. A grana também é destinada para a Paraolimpíada. 

O anúncio repercutido pelo UOL traz como cada governo vai ajudar o Comitê Olímpico internacional. Do total, R$ 150 milhões serão da prefeitura do Rio de Janeiro, chefiada por Eduardo Paes, do PMDB.

Publicidade
Publicidade

O restante do dinheiro, R$ 120 milhões, vem do governo federal. O Ministro Eliseu Padilha explicou que o COI estava operando no vermelho e que precisou de ajuda. O presidente em exercício #Michel Temer chegou a negar o apoio. 

"A demanda era de 200 milhões (de reais), mas chegamos a 270 milhões", explicou Eliseu Padilha a jornalistas durante uma coletiva sobre os jogos que reuniu também entidades da segurança. O prejuízo do Comitê Olímpico Internacional fez com que diversos Ministros de Temer, a Polícia Federal e a Agência Brasileira de Inteligência se reunissem. 

No mês passado, uma agência internacional chegou a dizer que o COI estava com déficit de meio bilhão em suas contas. Tudo porque novas contas e obrigações foram surgindo de última hora, como eventos de criminalidade. O Ministro então explicou que a violência é culpa dos governos brasileiros e que por isso ajudaria a pagar pelos shows. 

Internautas detonam decisão de governos no Brasil

A notícia rapidamente recebeu muitas críticas nas redes sociais.

Publicidade

"Para socorrer empresas internacionais a bancarem shows como o de #Anitta os governos tem dinheiro, mas para dar boa educação e salvar vida nos hospitais sucateados não", detonou um internauta. A presença de celebridades locais é comum em todas as aberturas dos jogos Olímpicos.  #Dilma Rousseff