O ex-senador Delcídio do Amaral terá que dar explicações ao Ministério Público sobre os encontros que teve com o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva, para assim, complementar todos as informações ditas em sua delação premiada. O ex-senador acusou Lula de obstruir os trabalhos da Justiça para proteger seu amigo, o pecuarista José Carlos Bumlai.

Delcídio disse, em sua delação, que tem documentos mostrando os vários encontros com o ex-presidente. Os assuntos seriam a respeito das maneiras de tentar frear a Lava Jato. O ex-senador comentou que em uma de suas conversas, Lula ressaltou que algo teria que ser feito para evitar que o ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró aceitasse fazer delação, pois se "Nestor abrisse a boca" poderia comprometer seu grande amigo Bumlai, e Lula não queria isso de forma alguma.

Publicidade
Publicidade

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, encaminhou um parecer sobre este fato ao Supremo Tribunal Federal. De acordo com Janot, há vários elementos que comprovam os encontros de Lula com Delcídio, tais como comprovante de agendamento de reunião, que foi realizada em maio de 2015, no Instituto Lula e registros de várias conversas telefônicas entre Lula, Delcídio e Bumlai.

Operação Lava Jato

Muitas ainda são as investigações que envolvem a Operação Lava Jato e está longe de terminar esse ano. Nos últimos dias, o juiz federal Sérgio Moro aceitou mais uma denúncia do Ministério Público Federal. Viraram réus 14 envolvidos em irregularidades na construção do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento da Petrobrás (Cenpes).

O ex-presidente Lula continua na mira e existem comentários que Lula será o último "peixe grande" a ser fisgado por Moro.

Publicidade

Há quatro linhas de investigação contra o petista: o sítio em Atibaia, o triplex no Guarujá, o envolvimento de Lula no caso da morte do prefeito de Santo André Celso Daniel e os pagamentos altíssimos feitos para o Instituto Lula em decorrência de suas palestras.

Lula tenta de todas as formas escapar das mãos de Sérgio Moro, inclusive pedindo ajuda internacional. #Petrobras #Sergio Moro