Logo que a advogada Janaína Paschoal desceu da tribuna do Senado Federal, o deputado federal e irmão do ex-presidente do #PT, José Genoino, chamou-a de golpista. O senador Aloysio Nunes não gostou da postura do deputado e interrompeu a sessão para reclamar.

Aloysio disse que não aceitaria que José Guimarães desrespeitasse a advogada e pediu ao presidente do Supremo e da sessão, Ricardo Lewandowski, que se o deputado não se comportasse, que o convidasse para se retirar do plenário. O caso gerou tumulto na Casa, onde petistas saíram em defesa de Guimarães, em especial a senadora Fátima Bezerra. Devido a desorganização e tumulto, Lewandowski suspendeu a sessão por cinco minutos.

Publicidade
Publicidade

No intervalo, o deputado petista teria pedido desculpas ao senador Aloysio Nunes e permaneceu no plenário. Não há informações se o mesmo se desculpou com a advogada de acusação, Janaína Paschoal.

Veja o vídeo do momento em que Aloysio interrompe a sessão para reclamar do comportamento do deputado:

 

Um dia histórico para o Brasil e para os advogados de acusação e defesa

No último dia de debates do #Impeachment de Dilma Rousseff, Janaína Paschoal subiu à tribuna e fez um discurso de quase uma hora, onde defendeu seus argumentos de que houve crime de responsabilidade no governo da presidente afastada. Em determinado momento, a advogada surpreendeu os presentes e desculpou-se com Dilma, devido ter lhe causado sofrimento, ainda que este não tenha sido o seu objetivo. Chorando, Janaína expressou expectativa de que um dia Dilma possa entender que a acusação do impeachment agiu pensando no futuro dos netos da presidente afastada.

Publicidade

Embora tenha sido aplaudida pelos senadores e simpatizantes do impeachment, o advogado de acusação, José Eduardo Cardozo, não gostou do pronunciamento da professora de direito penal. Chorando, Cardozo alegou que a advogada foi cruel e injusta, pois não se usa os netos de uma ré inocente para justificar a sua condenação. Imagens do advogado chorando acabaram repercutindo na imprensa internacional. #Senado Federal do Brasil