Embora muita gente tenha desconfiado da veracidade dos fatos, uma notícia que insinuava que o deputado federal #Marco Feliciano (PSC-SP), teria abusado de uma jovem, acabou sendo repercutida por vários sites nos últimos dias.

A forma e origem da repercussão foi esclarecida pela suposta vítima, Patrícia Lélis, que gravou um vídeo para dizer que nunca foi abusada, que mantem uma relação de amizade e respeito com o parlamentar, e que os e-mails e supostos prints que estão na internet foram criados por defensores da ideologia política de esquerda.

A moça inocenta o deputado e afirma que o único objetivo das pessoas que propagaram a notícia falsa, era destruir a imagem da ideologia política de direita, mas que não conseguiram.

Publicidade
Publicidade

Também aproveitou e disse que foi ameaçada e cobrada por muitos jornalistas que a procuraram, pedindo para que falasse a verdade. Por conta disso, decidiu gravar o vídeo para confirmar a verdadeira versão da história e inocentar o parlamentar.

Abaixo segue o vídeo em que o deputado federal é inocentado das acusações:

 

Histórico do deputado Marco Feliciano

Marco é pastor, escritor, cantor gospel e deputado federal eleito pelo estado de São Paulo. Dentre as suas bandeiras, o parlamentar defende a família tradicional. Marco é filiado ao PSC (Partido Social Cristão), mesmo partido que conta com os políticos da família Bolsonaro (Jair, Eduardo, Flavio e Carlos).

Quando presidiu à presidência da Comissão dos Direitos Humanos, o deputado foi vítima de diversos boatos da oposição. A referida comissão quase não tinha projetos e certo dia, quando havia um projeto de um deputado federal do PSDB, uma polêmica surgiu.

Publicidade

O texto previa, dentre outras coisas, que se um homossexual quisesse deixar o homossexualismo, teria direito ao atendimento psicológico e todo o amparo médico necessário.

Na época, opositores e imprensa divulgaram que o parlamentar teria criado o projeto da ‘Cura Gay’, o que de fato, nunca existiu. Outras polêmicas foram criadas enquanto o deputado presidiu a referida comissão. Atualmente, representa o grupo de deputados que fazem a mais forte oposição ao governo da presidente afastada, Dilma Rousseff. O político também é o deputado que mais tem seguidores nas redes sociais, chegando a marca de cinco milhões. #Estupro #Câmara dos Deputados