O Ministério Público Eleitoral em São Paulo anunciou uma decisão nesta terça-feira, 23, que deixou os paulistas chocados. As candidaturas de dois representantes da disputa eleitoral pelo município mais populoso do país foram impugnadas. São eles Celso Russomanno, do PRB, e Marta Suplicy, que vem à disputa pelo PMDB. Dependendo da análise da Justiça, as candidaturas podem até ser canceladas, o que especialistas veem como pouco provável. Além dos dois candidatos que lideram a pesquisa, também foram impugnadas as candidaturas da ex-prefeita paulista Luiza Erundina (PSOL) e de Major Olímpio, do Solidariedade. 

De acordo com uma reportagem do jornal 'O Estado de São Paulo', o Ministério Público recebeu 1265 pedidos de vereadores.

Publicidade
Publicidade

Desses, 657 foram impugnados. Já os de prefeito e vice foram 22 registros. Praticamente todos tiveram impugnação. Apenas sete dos vinte e dois não tiveram rejeição inicial da Justiça. 

O que isso significa?

A partir de agora a Justiça Eleitoral questionará os candidatos impugnados frente à Justiça Eleitoral. Caso irregularidades sejam confirmadas, a candidatura é suspensa. Isso pode ocorrer após mesmo do resultado eleitoral. De acordo com o 'Estadão', as impugnações dos candidatos a vice e prefeito em São Paulo são por falta de documentos obrigatórios. Coisa que teoricamente não é tão complicada de resolver, apenas um pouco burocrática. 

Boa parte dessa culpa nem é de quem concorre, mas sim do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, que teria tido dificuldade em fazer a emissão das certidões nos prazos indicados.

Publicidade

Russomanno, Marta e companhia devem ter agora sete dias úteis para regularizar a situação. 

Briga boa e comida popular

Russomanno e Marta aparecem como os favoritos a irem ao segundo turno. No entanto, deve existir uma briga boa com Fernando Haddad, do PT, e João Doria, do PSDB. O último é o que terá mais tempo de televisão, o que pode provocar alguma reviravolta eleitoral. Não sabemos ainda se a tempo suficiente do pleito, já que a eleição desse ano é mais curta.  #Eleições 2016