Os procuradores da Operação Lava-Jato, através do Ministério Público Federal se manifestou em um parecer contra o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. A peça é subscrita por quatro procuradores da República e possui mais de 70 páginas, apoiando enfaticamente o trabalho e a competência do juiz federal Sérgio Moro, responsável pelo comando da maior operação de combate à corrupção no Brasil; a Lava-Jato, em julgar o ex-mandatário do País. A defesa de #Lula argumenta que Moro não deveria julgar os casos que remetem à situação do tríplex do Guarujá e o sítio de Atibaia, ambos em cidades paulistas, já que, segundo os advogados, deveriam estar sob a alçada da Justiça Federal paulista.

Publicidade
Publicidade

A manifestação dos procuradores da força-tarefa da Lava-Jato rebate ponto a ponto a ofensiva dos advogados do ex-presidente Lula, que acusaram o juiz Sérgio Moro de atuar com "parcialidade" em relação aos processos que envolvem o petista. Toda a documentação é subscrita pelos procuradores Julio Carlos Motta Noronha, Athayde Ribeiro Costa, Jerusa Burmann Viecili e Roberson Henrique Pozzobon. Além da citação ao ex-presidente Lula, a manifestação também cita a participação de dois ex-ministros dos governos Lula e Dilma, José Dirceu e Gilberto Carvalho, como detentores de poder e influência durante o período das duas gestões petistas.

Parecer reporta caso Celso Daniel

A manifestação dos procuradores federais são enfáticas em demonstrar que o ex-presidente Lula tinha ciência e foi beneficiário do esquema criminoso de corrupção na Petrobras, seja direta ou indiretamente, em repasses fraudulentos de empreiteiras envolvidas nas investigações da Operação Lava-Jato.

Publicidade

Os procuradores também mencionaram nos autos, o caso que remonta às denúncias de corrupção na Prefeitura de Santo André, na região do ABC paulista. O caso repercutiu em todo o País, com a morte do prefeito petista Celso Daniel, que de acordo com as investigações, tentou frear o esquema de corrupção na cidade, já que verificou-se o desvio de recursos públicos, destinado ao Partido dos Trabalhadores, para que fosse utilizado em campanhas eleitorais petistas, com o propósito de entrega de dinheiro a José Dirceu e Gilberto Carvalho, segundo o documento apresentado pelos agentes federais.  #SérgioMoro #Lava Jato