Enquanto o julgamento do processo de impeachment da presidente afastada #Dilma Rousseff (PT) esquenta o Senado, as opiniões sobre a atual situação política brasileira voltam a tomar conta dos noticiários nacionais e internacionais. Na última sexta-feira, dia 26, foi a vez do francês Le Monde expor sua opinião sobre o caso.

Em um editorial chamado “A triste ironia da queda de Dilma Rousseff”, o jornal criticou duramente o processo, focando nas figuras que tornaram o julgamento do #Impeachment possível, como Eduardo Cunha, “acusado de corrupção”. O jornal também apontou as falhas no Senado brasileiro e nas condutas do vice-presidente e mandatário interino, Michel Temer.

Publicidade
Publicidade

Ex-ministro do Planejamento de Temer, Romero Jucá (PMDB) também foi lembrado pela publicação, que apontou as escutas telefônicas onde o político afirmava apoiar a troca de governo para impedir os avanços investigados da operação Lava Jato.

No texto, o Le Monde também relembrou a trajetória do antecessor de Dilma, o ex-presidente Lula, apontando erros de gestão cometidos pelos governos do PT que levaram o país a uma crise política. No entanto, o periódico afirma que o atual processo de impeachment não é uma boa saída para a atual situação do Brasil.

"Se esse não é um golpe de Estado, é no mínimo uma farsa”, afirmou o jornal. “As verdadeiras vítimas dessa tragicomédia política infelizmente são os brasileiros”, completou. #Senado Federal