A prefeita Lidiane Leite ganhou destaque na mídia em setembro do ano passado, ao ser presa por suposto desvio de verbas que chegam a 15 milhões de reais. A chefe da Câmara dos Vereadores de Bom Jardim, no Maranhão, volta a poder frequentar a prefeitura depois de quase um ano afastada do cargo. A prefeita ficou presa por 11 dias, e depois foi liberada usando uma tornozeleira, e desde então estava longe do executivo.

Quando descoberto o escândalo, Lidiane Leite sumiu, após sua prisão ter sido decretada na Operação Éden. Depois de estar foragida por mais de um mês, se entregou a polícia. Humberto dos Santos, o Beto Rocha, ex-namorado da prefeita e ex-secretário de Assuntos Políticos, também teve prisão decretada na mesma época, mas a decisão foi revogada uma vez que não houve provas de envolvimento do mesmo no esquema.

Publicidade
Publicidade

A jovem de 25 anos mantinha uma vida de luxo em uma das cidades mais pobres do Maranhão. As fotos veiculadas nas redes sociais levantaram a suspeita de que o padrão social da mesma não era compatível com suas posses. A cidade de aproximadamente 40.000 habitantes tem uma das menores taxas de desenvolvimento do estado, com situações de miséria e abandono. A prefeita é acusada de roubar dinheiro público destinado à educação e enganar em processos de licitação.

Destaque pela beleza, Lidiane postava fotos nas mídias exaltando a boa vida que levava. Antes de assumir o cargo, a moça tinha uma vida humilde no interior do MA, até que se envolveu com o já citado Beto Rocha, até então fazendeiro e dono de um patrimônio dantesco. Na época, o latifundiário tentou lançar a própria candidatura, mas não conseguiu, e decidiu promover a namorada Lidiane que mais tarde viria a se tornar prefeita da cidade.

Publicidade

 

O MP do Maranhão bloqueou os bens da prefeita que chegavam a quase 4 milhões de reais, parte não declarada no ano anterior à sua prisão. Duas outras empresas envolvidas nas fraudes de licitação também tiveram seus bens bloqueados no ano passado. Os envolvidos no esquema de corrupção foram presos para investigação, mas Lidiane não ficou mais do que duas semanas detida, ainda que continue sob supervisão da justiça.

Agora, de volta à prefeitura, a 'princesinha' que exibia uma vida luxuosa, deverá prestar contas de seus atos frente à população de uma das cidades mais pobres do país. #Justiça #Casos de polícia