Nesta quinta-feira, 25, começou mais uma sessão importante na história política brasileira. Enfim, teve início o julgamento da presidente afastada Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores, mediante ao processo de impeachment. A abertura do julgamento, que tem previsão de durar uma semana e cujo rito já se prolonga por nove meses, foi bastante movimentada. Um dos pontos mais altos e polêmicos foi iniciado pela Senadora paranaense Gleisi Hoffmann, eleita pelo Partido  de Dilma. Ela reclamu do julgamento contra Rousseff, argumentando que ninguém do Congresso Nacional teria competência para falar mal da petista. O Senador Ronaldo Caiado, do Democratas de Goiás, não gostou e começou um bate boca.

Publicidade
Publicidade

Primeiro, Caiado disse que não roubava aposentado, citando o marido de Gleisi, o ex-Ministro do Planejamento do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Paulo Bernardo, preso durante a 'Operação Custo Brasil'. Paulo Bernardo é acusado de desviar parte dos créditos consignados de servidores federais endividados, especialmente os aposentados. Em seguida, Caiado, que ouviu uma bordoada de Lindbergh Farias, do Rio de Janeiro, disse para o colega parar de cheirar e pediu ao presidente da sessão, Ministro Ricardo Lewandovsky para que fosse feito um exame anti-doping contra Farias. 

O petista carioca, que no início da sessão já havia sido chamado de "jovem atleta" por Magno Malta, do Partido Progressista do Espírito Santo, não gostou da ofensa de Caiado, que aina pediu para ele parar de cheirar.

Publicidade

Farias disse a jornalista na saída para o almoço que faria uma representação contra o rival por injúria, difamação e calúnia. A representação seria feita no Conselho de Ética no Senado e também no Supremo. Antes de falar que Farias cheirava, o Democratas ouviu que era um "canalha". Em casos assim, uma ofensa costuma anular a outra. 

Mas Caiado não deixou barato. Em entrevista à TV Senado, ele disse que recorreria ao Departamento de controle ao narcotráfico contra Lindbergh. 

Veja abaixo a declaração de Ronaldo Caiado, do Democratas, que acaba polemizando ainda mais sobre o assunto:

#Lindbergh Farias #PT