Quem imaginou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estaria escondido nos próximos dias e fugindo da mídia se enganou redondamente. Ele reapareceu e mais “raivoso” do que nunca. Fez diversas declarações polêmicas e classificou a semana do julgamento final do processo de #Impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff como: “semana da vergonha nacional”. As declarações de #Lula foram feitas em um evento denominado “Em defesa da Petrobras, da indústria naval e pela geração de empregos”, com participação de trabalhadores e sindicalistas, realizado nessa quinta-feira (25), na cidade de Niterói, no estado do Rio de Janeiro.

Lula discursou durante 30 minutos e fez duras críticas a diversos políticos, incluindo o prefeito do Rio, Eduardo Paes e o senador Marcelo Crivela (PRB).

Publicidade
Publicidade

“Estou muito triste com o comportamento do prefeito do Rio”. Lula disse que sua tristeza tem a ver com o posicionamento de Eduardo Paes em favor do impeachment de Dilma.

Em relação a Marcelo Crivella, ele afirmou que foi uma pessoa desleal e que um comportamento desses não é pertinente a uma pessoa que fala em nome de Deus.

"O Marcelo Crivella, que eu apoiei em 2014, que fala em nome de Deus, não pode cometer uma deslealdade dessa, assim como outros".

Crivella já confirmou sua candidatura à prefeitura do Rio e também se posicionou contra o impeachment de Dilma, mesmo tendo participado do governo da petista ocupando a função de ministro da pesca e da Agricultura no ano de 2012.

Lula  disse que Senado irá discutir a condenação de uma inocente

Em relação ao trabalhos que foram iniciados nessa quinta-feira, no Senado Federal para decidir o futuro de #Dilma Rousseff na presidência, Lula disse que será discutida a condenação de uma pessoa inocente.

Publicidade

“Estou envergonhado do Senado. Hoje é o dia que eles começarão a rasgar a constituição do país”.

Lula também criticou Temer e disse que peemedebista não sabe governar e por isso privatiza. E que está em jogo uma tentativa de destruir o direito desse país ser grande e também de impedir que a Petrobras seja a maior empresa petrolífera do mundo.

Ao final do seu discurso, Lula se disse favorável a Lava Jato e afirmou que “se roubou tem que ir para a cadeia”. E criticou as delações premiadas acusando os delatores de “falarem mentiras” e que todos estão soltos, tranquilos e fumando charuto cubano.