Nessa semana, muita gente ficou chocada com a citação de Dias Toffoli durante a delação premiada de Léo Pinheiro, executivo da OAS, empreiteira investigada na Operação Lava-Jato. No entanto, ele não seria o único Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) a ser investigado pelo Ministério Público Federal (MPF). A informação foi dada com grande destaque pela colunista Mônica Bérgamo, que escreve para o jornal 'Folha de São Paulo'. A coluna conta ainda que o presidente em exercício, Michel Temer, do PMDB, está trabalhando com o maior cuidado possível e vendo de perto a crise que se estabeleceu o MPF e o STF. O alto staff da cúpula do peemedebista tem informações especiais e com conteúdo chocante.

Publicidade
Publicidade

Além do s Ministros do Supremo, assessores e até a família de representantes da mais alta corte do país, também são alvos de investigações internas. A revelação foi feita depois que Gilmar Mendes criticou veementemente o trabalho dos procuradores e da Lava Jato. Ele chegou a dizer que o cemitério estava cheio de heróis. A equipe de Temer não é a única a saber das novas delações que geraram as investigações do Ministros. O próprio Supremo já teria acesso a mesma informações. Com isso, o vazamento sobre a citação do nome de Toffoli seria apenas o começo da apuração que pode mexer com todo o judiciário do país. 

Após muita pressão, o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, acabou suspendendo imediatamente a delação de Léo Pinheiro, o que gerou críticas de diversos juristas, como a advogada de acusação do processo de impeachment da presidente afastada #Dilma Rousseff, Janaína Paschoal.

Publicidade

Para ela, é bastante estranha a postura de suspensão, especialmente porque outros vazamentos não levaram à mesma medida. Ela lembrou que a Constituição estabelece que os cidadão tenham os mesmos direitos. 

Não há agora um período para que toda essa história seja oficializada pelo Supremo ou pelo Ministério Público, que costumam tratar processos desse tipo com o máximo de sigilo possível, muitas vezes estabelecido na própria ação.  #PT